O equilíbrio denotado nos primeiros 45 minutos, entre Trofense e Nacional, foi quebrado na etapa complementar, com o conjunto insular a conseguir dois golos de vantagem, por intermédio de Alonso e Miguel Fidalgo.

   Mesmo a estrear uma equipa que ainda não tinha experimentado, Manuel Machado levou a melhor sobre António Conceição, ao levar o Nacional à primeira vitória a valer na temporada, frente ao Trofense, com dois golos sem resposta.

A partida relativa à Taça da Liga começou com uma abordagem contida da parte dos dois conjuntos, com bastante rigor táctico, que prejudicava o espectáculo devido à falta de dinamismo nos diferentes sectores do terreno.

Logo aos três minutos o Trofense reclamou um livre indirecto dentro da área dos insulares, por "pé em riste" de Halliche, mas Artur Soares Dias não assinalou qualquer infracção.

O primeiro sinal de perigo foi dado pelo conjunto da Trofa, aos 11 minutos, com um livre apontado por Ricardo Nascimento a servir Valdomiro, que cabeceou para as mãos do guarda-redes Bracalli.

Já o primeiro remate do Nacional surgiu dos pés de Juninho, que fora da área, permitiu a defesa fácil de Paulo Lopes. Mas foi Edson que protagonizou a grande situação de golo na primeira parte, com um remate por cima da barra, depois de uma boa jogada de entendimento entre Marco Airosa e Mateus, pelo flanco direito do ataque insular.

O equilíbrio denotado nos primeiros 45 minutos foi quebrado na etapa complementar, com o Nacional a chegar ao golo logo no primeiro minuto, por intermédio de Alonso, que aproveitou uma defesa incompleta de Paulo Lopes a remate de Edson, para empurrar o esférico para dentro da baliza.

Só a partir do golo o Trofense espevitou o ataque, mas foi o Nacional que voltou a ser mais objectivo com o segundo tento, aos 81 minutos, por Miguel Fidalgo, que foi bem servido por Mateus, que antes havia tirado Paulo Lopes do caminho.

A resposta tardia do Trofense surgiu com Lipatin a destacar-se nas duas boas oportunidades para marcar à sua anterior equipa. Na primeira, aos 83 minutos, o uruguaio cabeceou bem, mas Nuno Pinto, este com igual estatuto do avançado, pois jogava também contra o seu clube anterior, a evitar o golo mesmo sobre a linha de baliza. A dois minutos do fim Lipatin serviu Edu de cabeça, mas o brasileiro não concluiu a jogada com sucesso.

O último fôlego do Trofense surgiu já no tempo de descontos, com Rui Borges, isola sobre a direita obrigou Bracalli a uma boa defesa.

A resposta tardia do Trofense acabou por não bastar para a equipa evitar a primeira derrota na temporada, depois de um período de preparação sem desaires.

Sublinhe-se que, por questões burocráticas, António Conceição esteve privado de utilizar Milton do Ó, colocando dentro de campo, de forma inédita, a dupla de centrais Valdomiro e Miguel Ângelo.

"Não fomos felizes na finalização"

O treinador trofense não concordava com os números finais, mas preferiu destacar a exibição dos seus atletas. Mesmo sem ficar desanimado, Toni considerou que o primeiro golo "foi fatal" e condicionou a sua estratégia para o resto da partida. "Poderíamos ter empatado, mas não fomos felizes na finalização. Esta foi uma lição para o futuro, apesar de os jogadores terem trabalhado e deixado um sinal positivo", afirmou o técnico.

"Nacional foi claramente superior"

Manuel Machado estava contente com a entrada positiva do Nacional em competição e fez questão de frisar que "satisfação é o estado de espírito do grupo".

"Foi um encontro bem jogado. Começámos a vencer e isso é que conta. É fundamental ter bom rendimento e, perante os condicionalismos que tínhamos, penso que o Nacional foi claramente superior".

O técnico insular não deixou de reconhecer que o Trofense "teve uma boa reacção ao primeiro golo, mas a diferença faz-se na eficácia".

 

Jogo: Estádio da Madeira

Nacional: Rafael Bracali, Marco Airosa (João Aurélio 75'), Maicon, Halliche, Igor Pita (Miguel Fidalgo 62'), Cléber, Édson Sita, Alonso (Nuno Pinto 71'), Juninho, Fabiano Oliveira e Mateus

Treinador: Manuel Machado

Trofense: Paulo Lopes, Zamorano, Miguel Ângelo (Lipatin 57'), Valdomiro, Areias, Delfim, Pinheiro (Rui Borges 66'), Ricardo Nascimento, Edú Souza (Zé Carlos 75'), Edu e Hélder Barbosa

Treinador: António Conceição

Árbitro: Artur Soares Dias (AF Porto), auxiliado por Rui Licínio, João Silva e Cosme Machado

Marcadores: Alonso (46') e Miguel Fidalgo (81')

Resultado ao intervalo: 0-0

Resultado final: 2-0