Forave inaugurou na terça-feira, no Lago Discount, em Vila Nova de Famalicão a Incubadora de Empresas do Vale do Ave – Start Business.

Carla Martins, Fátima Gonçalves, Sara Sampaio, Tiago Almeida e Emanuel Almeida são os nomes daqueles que apostaram no empreendedorismo.

Em tempo de crise, estas pessoas decidiram arriscar rumo a novas oportunidades e idealizaram o seu próprio emprego. Os projectos são apoiados pela Forave que na terça-feira inaugurou uma Incubadora de Empresas. A Start Business funcionará no Lago Discount e tem capacidade para albergar quatro novas empresas.

Emanuel Almeida apresentou o seu projecto para um novo rumo o ano passado e será o primeiro empreendedor a integrar a Start Business. Terá uma empresa no sector dos componentes electrónicos, área onde já trabalhava até ser despedido. “Para aproveitar o conhecimento do mercado e dos clientes tive a ideia de criar a empresa. Tive conhecimento de que o Projecto Rumos da Forave ajudava na elaboração desse projecto e concluí-o”, explicou. Foi o primeiro a candidatar-se e a conseguir um espaço para iniciar a sua actividade “com os benefícios” que a Forave tem para oferecer.

Tiago Almeida autodenomina-se como uma “pessoa empreendedora” e por isso pretende aplicar um novo conceito: massagens no local de trabalho. O objectivo é claro: “Fazer com que as empresas valorizem o capital humano” e “eliminar o stress e o desgaste físico das pessoas em horário de trabalho”. Tiago pretende agora integrar a nova incubadora de empresas para poder “tirar o máximo de frutos” do trabalho que pensa iniciar brevemente.

Já Carla Martins tem um projecto que pretende dar “carinho” e apoio domiciliário a idosos. É também uma das candidatas a integrar a Start Business: “Aqui podem proporcionar-nos um local de trabalho óptimo e bem localizado e através do meu escritório poderei fazer uma boa divulgação da minha empresa”.

A Forave começou há dois anos a impulsionar ideias com o Projecto Rumos e de acordo com Pinto da Fonseca, presidente da direcção da Forave, a Incubadora de Empresas dará outra dimensão a este projecto. “É uma mais-valia para o concelho, para a região e para as pessoas”, frisou. “O empreendedorismo não significa apenas a criação do seu próprio trabalho, mas também a capacidade de inovar”, explicou, garantindo que a escola está a “inovar”, não apostando apenas no modelo tradicional de ensino.