A Igreja Nova foi palco da celebração do Dia Mundial das Missões, com uma eucaristia presidida pelo bispo auxiliar do Porto, D. Armando Esteves Domingues, que é também presidente da Comissão Missão e Nova Evangelização.

Com transmissão televisiva, a eucaristia de 24 de outubro foi, ainda, concelebrada pelo pároco de S. Martinho de Bougado, padre Luciano Lagoa, pelo presidente dos IMAG, padre Adelino Ascenso, pelo presidente dos ANIMAG, padre Simão Pedro, e pelo padre Joaquim Silva, dos ANIMAG Zona I.
Dedicada a todos aqueles que doam a vida pela função de anunciar o Evangelho pelo mundo, a efeméride foi, igualmente, aproveitada para reiterar que “a Igreja é missionária na sua essência”. “Qualquer cristão tem obrigação de ser missionário. Nós deveríamos ser missionários no lugar onde estamos”, sublinhou ao NT, o padre Adelino Ascenso.
O presidente dos IMAG (Institutos Missionários Ad Gentes) lembrou a mensagem do Papa Francisco, para esta data, que expôs a necessidade de “não calarmos aquilo que vimos e ouvimos”. “É esta a essência da missão. Temos de transmitir e testemunharmos com a nossa vida aquilo em que acreditamos, aquilo que vimos, ouvimos e tocamos”.
Já D. Armando Esteves Domingues preferiu enfatizar a oportunidade de, neste mês missionário, a Igreja “ver o quanto o nosso campo de missão é grande e quantos homens e mulheres vão pelo mundo anunciar Jesus Cristo e a sua paixão por Ele, a maior da vida, porque tantos deixam a possibilidade de constituir família e de ter estabilidade económica e familiar para habitar na terra dos outros”.
“Este dia é, igualmente, importante, porque lembra que esta missão nasce do batismo e é de todos.
Todos recebemos os dons do Espírito Santo, somos portadores do mesmo espírito e capazes de participar da mesma missão”, acrescentou.