Se se deparar com um incêndio num eletrodoméstico sabe como atuar? No âmbito das comemorações do Dia Internacional da Proteção Civil, que se assinalou a 1 de março, os Bombeiros Voluntários da Trofa fizeram uma pequena demonstração, onde explicaram o que as pessoas devem fazer perante um foco de incêndio em eletrodomésticos.
O campo de jogos da EB 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques, em S. Martinho de Bougado, transformou-se num autêntico quartel com os diferentes meios da Proteção Civil, possibilitando aos alunos adquirirem conhecimentos na prevenção e segurança.
Os Bombeiros Voluntários da Trofa estiveram representados por “uma viatura de combate a incêndios florestais” e “cinco homens da EIP – Equipa de Intervenção Permanente”, que fizeram “um pequeno cenário para as crianças verem a realidade dos bombeiros no seu dia a dia, principalmente nos incêndios”. Além disso, os soldados da paz incutiram nos jovens o cuidado a ter com os eletrodomésticos em casa e para evitar as “subcargas nas extensões”. Já o comandante Flávio Sá explicou que a presença do Destacamento da Guarda Nacional Republicana de Santo Tirso serviu para mostrar aos alunos “os meios que usa durante todo o ano”, desde o Serviço de Proteção da Natureza, Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro, no âmbito do Trânsito e do Costeiro, “o que é a guarda e o que faz”. “As escolas têm um papel muito importante na área da Proteção Civil, porque quando temos de dar umas ideias ou alguns conselhos de segurança é sempre aos mais jovens. A GNR usa estes eventos, não só para transmitir conselhos de segurança, mas também para dar uma ideia ainda muito pouco conhecida do que é que a GNR tem e o que é que a GNR faz nesta área”, acrescentou.
A ASVA – Associação de Silvicultores do Vale do Ave – também esteve presente, pois, segundo Américo Reis, é uma forma de “mostrar o que fazem durante o ano”: no inverno “cortam o mato e fazem as faixas de contenção e no verão fazem vigilância”. “As pessoas ainda pensam que os sapadores andam aí por andar e são empregados da Câmara. O que pensam não corresponde à verdade porque somos de uma empresa privada e temos engenheiros que tomam conta do trabalho”, denotou, salientando que “às vezes” o trabalho dos sapadores nos incêndios “nem é reconhecido”.
Além da presença dos vários meios da Proteção Civil, o programa contou com a atuação da Banda Marcial da Guarda Nacional Republicana (GNR) e demonstrações da Equipa Cinotécnica da GNR e dos Cavalos do Destacamento de Intervenção da GNR do Porto.