avesA Direcção do Desportivo das Aves, da Liga de Honra de futebol, pondera apresentar a demissão em bloco e o presidente do clube, João Freitas, não deverá recandidatar-se, disse o dirigente à Agência Lusa.

João Freitas reuniu-se hoje com o presidente adjunto, Joaquim Pereira, tendo ficado em aberto a “forte hipótese” de a Direcção se demitir, cenário que será discutido quinta-feira, informou o dirigente à agência Lusa.

Em causa estará também a sua recandidatura, que, segundo João Freitas se afigura “pouco provável”. “Há 90 por cento de hipóteses de não me recandidatar”, principalmente por razões profissionais, admitiu o presidente do Desportivo das Aves.

“Para ser presidente é preciso ter disponibilidade e eu, neste momento, não tenho, é tão simples como isso”, justificou.

O descontentamento dos avenses também se deve à arbitragem do setubalense Bruno Esteves no jogo ante o Varzim, no domingo, que terminou com a vitória dos poveiros.

“Perdemos com um suposto penalty, mas além do jogador ter disputado apenas a bola, o lance ocorreu fora da grande área”, lamentou.

O “momento menos bom da equipa”, com duas derrotas consecutivas e “inesperadas”, também foi analisado.

“Reforçámos o plantel com dois jogadores de qualidade e pretendíamos partir para um final de época a disputar os lugares de subida. Esperávamos um bocado mais”, disse João Freitas à Lusa.

As mais recentes iniciativas da Liga e clubes também não passaram ao lado da reunião, tendo causado “alguma estranheza o facto de o clube não ter sido convidado a integrar a recente comissão de análise, uma vez que desde a sua criação, excepto as duas épocas em que esteve na Liga, é totalista da Liga de Honra”.