Vítima de 49 anos dirigia-se ao Centro de Saúde de Alvarelhos, quando foi colhida por um automóvel, que circulava em sentido contrário e, alegadamente, em excesso de velocidade.

Em Alvarelhos, a Rua 25 de Abril já é conhecida entre os moradores por ser palco de frequentes acidentes. Na passada sexta-feira, os habitantes daquela rua lamentavam o trágico desfecho de mais um acidente naquele local.

Maria José Oliveira, de 49 anos, seguia a pé pela berma da estrada em direcção ao Centro de Saúde de Alvarelhos, cerca das 7.45 da manhã, quando foi colhida por um veículo automóvel conduzido por um jovem alvarelhense, de 25 anos, que circulava em sentido contrário e, alegadamente, em excesso de velocidade. A mulher não resistiu aos graves ferimentos e acabou por morrer no local do embate, apesar de ter sido ainda assistida pelos Bombeiros Voluntários da Trofa. O corpo foi transportado para o Gabinete Médico-Legal de Guimarães para ser autopsiado.

atropelamento-alvarelhos-3

Um dos quatro filhos da mulher, de 26 anos, que seguia com ela a pé teve mais sorte e, por ter ficado para trás para comprar tabaco no Café S. Roque, acabou por não ser também atropelado.

Gracinda Rocha, moradora na Rua 25 de Abril há 80 anos, afirmou ao NT/TrofaTv que “nunca tinha visto um acidente assim” e contou que ela própria já foi vítima de um acidente naquela rua, do qual saiu com um braço magoado. A mesma situação já acontecera ao filho de Amélia Gonçalves, também moradora naquela rua há 22 anos. “Tenho um filho com 19 anos que já foi apanhado por um braço e tenho medo de sair à rua”, afirmou ao NT/TrofaTv, alertando para as crianças que ali passam diariamente para ir para a escola.

Lamentando o final infeliz de mais um acidente, os moradores daquela rua reivindicam mais segurança e pedem às autoridades que tomem providências. “Coloquem aqui umas lombas ou uns semáforos de controlo de velocidade, porque os carros passam aqui a uma velocidade louca. Já houve aqui muitos acidentes e se nada for feito vão continuar a acontecer”, adiantou Amélia Gonçalves.

Para o local do acidente foi mobilizada uma ambulância de socorro do INEM, seis homens e três viaturas dos Bombeiros Voluntários da Trofa. A GNR também esteve no local para registar a ocorrência, tendo interrompido temporariamente a circulação do trânsito naquela rua.

Maria José Oliveira era natural de Alvarelhos, casada, tinha quatro filhos e vivia no complexo de habitação social de S. Martinho de Bougado.