Um "pedaço" artístico da Renascença italiana poderá estar, afinal, em Santo Tirso. Foi um acaso, tal como acontece com tantas obras de arte perdidas, que levou à descoberta…

 Quando um especialista em música maneirista do período do Renascimento italiano foi passar uns dias na pacatez do Mosteiro de Singeverga, em Santo Tirso, e se deparou com a enorme pintura de cinco metros de comprimento por dois de altura, telefonou de imediato a um amigo historiador.

O especialista pensou que fosse uma brincadeira, mas mudou de ideias quando foi ver o quadro: estavam diante do que garantem agora ser um original do pintor italiano do século XVI, Jacopo Robusti, conhecido como Tintoretto. Uma obra pintada já na fase tardia da sua vida, entre 1580 e 1590, em conjunto com o seu filho Domenico.

A pintura representa a Adoração dos Reis Magos, e tinha sido referenciada pela ultima vez no século XVIII. Foi doada aos monges beneditinos e posta recentemente na Igreja Abacial do Mosteiro.

Aguarda-se agora pelas análises feitas por especialistas do Museu do Prado, que organizou a última exposição de quadros deste pintor italiano.

Caso se confirme a autenticidade da obra, Portugal teve até agora, sem o saber, uma obra rara de um dos mais importantes pintores do Renascimento.