Eleita pelo Porto para o Parlamento e vereadora na Câmara da Trofa, sem pelouro, assume, também neste concelho, a liderança da Concelhia socialista. Na Assembleia, faz parte das comissões de Obras Públicas e dos Negócios Estrangeiros.

 Entre as duas dezenas de deputados do PS eleitos pelo Porto, é uma das poucas caras femininas. No plano parlamentar, como nos planos distrital e concelhio, tem se distinguido pelas posições reivindicativas em relação ao metro, mais concretamente aos atrasos na ligação à Trofa. Quanto ao estatuto de deputado, divide-se entre a defesa de uma perspectiva mais nacional e uma atenção particular às questões regionais.

JN|O que têm feito os deputados do Partido Socialista pelo distrito do Porto?

Joana Lima|Temos realizado visitas quase semanais a diversas instituições , empresas e associações. Além disso, temos apresentado requerimentos ao Governo, bem como projectos de resolução. Os deputados do PS pelo Porto criaram, igualmente, o Gabinete do Deputado de atendimento ao cidadão e têm promovido visitas aos diversos concelhos e audiências.

Enquanto deputada, o que fez pelo Porto?

Como faço parte da Comissão de Obras Públicas, Transportes e Comunicações, acompanhei muito de perto o dossiê do metro do Porto, nomeadamente no que diz respeito à Trofa e à linha da Boavista. Fiz um requerimento ao Governo sobre o metro, pondo-lhe várias questões. Também em comissão o fiz. No período antes da ordem do dia, fiz uma intervenção sobre o Portugal Logístico com incidência nas três plataformas do distrito, nomeadamente a segunda maior do projecto, que é da Maia/Trofa. E fiz intervenções de âmbito nacional, como no caso da aplicação do sistema de videovigilância nos táxis, proposta de lei do Governo cuja defesa fiz em plenário.

Tem em curso algum projecto relativo ao Porto?

Estou empenhada em acompanhar e intervir no âmbito da minha comissão; em tudo o que diga respeito às variantes rodoviárias EN14 e a EN104.

Que avaliação faz do trabalho dos outros partidos?

Penso que não é elegante da minha parte fazer essa avaliação. Nas próximas eleições legislativas, irão ser julgados pelo povo, assim como nós socialistas.

O PS tem menos iniciativa parlamentar apresentada…

Deve-se ao facto de ser o partido que suporta o Governo. Quem tem que fazer oposição são os outros, daí terem mais requerimentos e outras iniciativas.

Que entendimento tem do estatuto do deputado da nação. Deve ser mais deputado do distrito?

Os deputados são eleitos pelo seu círculo, neste caso o do Porto. Mas não podemos nunca esquecer que todos os deputados são deputados da nação. Daí o nosso trabalho mais acentuado ser no âmbito das comissões a que pertencemos; no meu caso, a de Obras Públicas e a dos Negócios Estrangeiros. Isto embora, na prática, estejamos mais atentos às questões que dizem respeito ao distrito e até ao concelho.

in JN