Assembleia da República aprovou, a 29 de janeiro, um voto de pesar pelo falecimento de Bernardino Vasconcelos, primeiro presidente da Câmara Municipal da Trofa.
Foi pediatra de renome, presidente do Conselho de Administração e diretor Clínico do Hospital Conde S. Bento, em Santo Tirso, deputado na Assembleia da República pelo PSD, entre 1995 e 1998, e o primeiro presidente da Câmara Municipal da Trofa. Bernardino Vasconcelos, que faleceu a 7 de setembro de 2015 com 68 anos, dedicou a sua vida à medicina, à comunidade e política, tendo sido uma das personalidades “marcantes do movimento autárquico do Município da Trofa”.
Por essa razão, Bernardino Vasconcelos foi homenageado na Assembleia da República, com a aprovação do voto de pesar pelo seu falecimento, na presença da família, que assistiu à apresentação e votação nas galerias da Assembleia, precisamente 15 anos depois de ter tomado “posse como presidente da Comissão Instaladora do Município da Trofa no Governo Civil do Porto” em 22 de janeiro de 2000.
A iniciativa foi da trofense Joana Lima, que, após tomar posse como deputada socialista, teve conhecimento de que Bernardino Vasconcelos não tinha sido ainda homenageado na Assembleia da República. Joana Lima falou com representantes do PSD, dando conta da sua intenção e da bancada socialista, de apresentar o voto de pesar pelo falecimento do ex-deputado. Os deputados do PSD concordaram com a sugestão e, “através da deputada Andreia Neto, de Santo Tirso, receberam a proposta de Joana Lima e foi elaborado um voto de pesar conjunto, que foi aprovado por unanimidade”, adiantou a deputada trofense.
No voto de pesar são recordadas as funções e o trabalho que Bernardino Vasconcelos desenvolveu durante a sua vida. “Ao longo dos anos, Bernardino Vasconcelos esteve permanentemente envolvido com os problemas dos seus munícipes através de um trabalho permanente e de proximidade. Assim, a Assembleia da República presta homenagem a Bernardino Vasconcelos pelo trabalho desenvolvido em prol dos direitos dos trofenses, aprovando um voto de pesar pelo seu falecimento e expressando os seus sentimentos à sua família”, pode ler-se  no documento aprovado.