Nas primeiras edições de 1931 da imprensa local, vários foram os artigos que destacaram a necessidade, além de criar melhores meios de comunicação e instituição de uma corporação de bombeiros, como também a fundação de um clube para os seus habitantes passarem o seu tempo ocioso. A preocupação da imprensa relativamente a esse assunto é de salutar, acompanhando as correntes existente à época.
O Clube Trofense, colmatou essa necessidade, merecendo a sua inauguração honras de destaque na imprensa em 20 de março de 1932, anunciando: “…a sua abertura ia ser um facto, após muito tempo em que foi defendida a criação de um clube onde os homens de atividade pudessem reunir-se à noite, discutindo os temas atuais e receber figuras ilustres na cidade. Num segundo patamar seria criado uma biblioteca para cultura dos seus sócios e frequentadores, sendo um clube para os sócios e sua família…”1
Tentando ampliar a oferta desportiva e associativa, anunciado na imprensa que iria nascer uma nova agremiação desportiva, denominada “Clube Náutico Trofense”, uma instituição que nascia da vontade de meia dúzia de jovens, tendo uma secção de natação e de remo, para servir de apoio ao desenvolvimento da prática da educação física na Trofa.2 Contudo, sobre este projeto desportivo, não houve mais informações.
No ano de 1951 seria fundado um dos elementos mais marcantes da sua cultura popular, como também um símbolo de afirmação além portas, a sua Banda de Música que seria um dos seus maiores embaixadores locais até ao presente (2018).3
Termina a “viagem” pelas crónicas da história da Trofa relativamente à cultura e ao lazer operário, um importante tema da sua história, atendendo ao passado da Trofa ligado de forma intrínseca ao desenvolvimento industrial.

Facebook:
josepedroreishistoriador

1 “Inauguração do clube”
O Trofense, março 20, 1932

2 “Clube Náutico Trofense”
O Trofense, março 19, 1932

3 “10º aniversário da Banda da Trofa” Jornal da Trofa,
agosto 19, 1961