E para lá da pandemia Covid-19, outra pandemia varre o país: as radicais podas e/ou abate de árvores públicas são notícia em todo o lado, a toda a hora. O Coronado também padece de tal peste. É a maldita pandemia-arboricida, promovida pelos nossos autarcas!

A mais recente “phoda” foi protagonizada pela Câmara Municipal da Trofa, em pleno São Bartolomeu. O querer aquilo “airoso” e livre de “folhaço”, uma comissão local de barriga cheia, o assobiar para o lado de quem por ali passa, a típica caça-ao-voto que já está acesa, tudo isto foi pretexto para que a Câmara lá realizasse uma valente poda de rolagem, com funcionários-a-prazo e sem qualquer preparação técnica. Sábado (!) e segunda-feira, foi um fartote: 9 árvores decepadas – e valha, pouparam uma oliveira e um “alcatifado” azevinho.

E que triste exemplo para os miúdos, sim, os Escuteiros que até têm sede mesmo ali ao lado. Baden-Powell estremeceu! Que desilusão, senhor vereador do Ambiente e da Protecção Civil. “O futuro (insustentável) passa pela mesmo por aqui”. O Pacto dos Autarcas para o Clima e Energia merece muito mais – e melhor!

Já a Junta de Freguesia do Coronado também alimenta as Alterações Climáticas, apesar do presidente da junta, José Ferreira, desde 2010, via APVC, ser constantemente alvo de construtivas e tranquilas sensibilizações. Nesta época de podas 2020-2021, são muitos os atentados praticados pela Junta, um pouco por toda a freguesia, desde Setembro e até estes dias. Largo do Espírito Santo, Urbanizações do Casal e do Côvelo, Zona Industrial de Soeiro, Traseiras da “Ziza” (Rua Dom João I), N318/Rua do Horizonte (junto ao nº 1567), entre outros spots. São quase 100 árvores, “sem” árvores!

As intenções também apontam para obtenção de lenha, de forma gratuita e à descarada, diga-se, muito útil, nesta altura, para alimentar fogões, tal é a quantidade de matéria lenhosa transportada pelos veículos da junta – tractor-reboque e carrinha.

Compilamos um dossier detalhado, com vídeos, fotografias e testemunhos de residentes. Não esquecemos dados referentes à famosa razia praticada pela Câmara Municipal da Trofa, no jardim da Feira Nova, por alturas do início das obras pró-ciclovia – curiosamente, foi “meia razia”, porque, convenhamos, grande parte das árvores já estavam mortas ou em processo lento de definhamento, “fruto” das podas de rolagem praticadas, anualmente e desde 2010, pela Junta de Freguesia (de São Mamede do Coronado e, depois de 2013, do Coronado). O dossier tem sido divulgado via mailing, whatsapp e, presencialmente, mostrado à comunidade.

Se já não consegues sensibilizar nem mudar a mentalidade deste(s) autarca(s), então, mostra-o(s) ao mundo, o que de mal fazem e o que deveriam fazer, para bem de toda a comunidade. Tem gerado manifestações de espanto, mas, acima de tudo, tristeza, muita tristeza! Depois de tantos anos a dialogar, sugerir, colaborar, solicitar, quase pedir “sua(s) excelência(s)”, caramba, já chega – ó carvalho, chega (?), isso não, nunca! 

Senhor Presidente José Ferreira, Senhor Presidente Sérgio Humberto, Senhores Vereadores, Senhores Deputados das assembleias municipais e de freguesia, de forma construtiva, apelamos à Vossa responsabilidade, com urgência, baixem as armas e tricas político-partidárias e, à luz do desenvolvimento sustentável, entendam-se. Ó conterrânea Dona Lina Ramos, ó Linaaaa, ah, carvalho, meta esta malta toda na linha!!

É urgente: planear e implementar boas práticas de gestão de espaços verdes em todo o concelho; respeitar, valorizar e dar “carta branca” aos técnicos municipais devidamente qualificados e que, esses sim, só esses, devem intervir – basta de tarefeiros e/ou chico-espertos de moto-serra na mão!
Saúde-da-Boa,

vítor assunção e sá | APVC
facebook.com/valedocoronado