Semana sim, semana não Natércia Rainha tem que percorrer mais de dois quilómetros com os dois filhos, de cinco e três anos, para os levar ao jardim de infância. Câmara Municipal suspendeu o transporte para crianças do pré-escolar por “questões legais e de falta de segurança”. 

 

Na inocência dos seus cinco anos, Rui diz que é uma criança e não uma “pessoa grande”. Por isso, quando o cansaço de uma rotina começa a pesar nas pernas ao fim de uma semana, o menino suplica à mãe para não ir mais para a escola a pé.

A irmã, Inês, que ainda não alcançou as quatro primaveras, também sucumbe à fadiga, mas a falta de alternativas faz com que as crianças tenham que se levantar ao cantar do galo para ir para o jardim de infância. Os perigos de percorrer o caminho a pé espreitam a cada esquina e nem sempre a consciência rodoviária impera nas ruas. “Ainda ontem (7 de novembro) fui levar a minha filha à escola, quando, perto da ASCOR (Associação de Solidariedade Social do Coronado), um carro em excesso de velocidade travou de repente e derrapou, batendo com os pneus no passeio.

Leia a reportagem completa na edição desta semana d’ O Notícias da Trofa, disponível num  quiosque perto de si ou por PDF.

{fcomment}