Na época 2015/2016, o Centro Recreativo de Bougado arrancou com três equipas de futsal nos campeonatos federados. Objetivos para o futuro passam por criar uma nova modalidade e fazer obras no pavilhão.

A novidade desta época do Centro Recreativo de Bougado foi a criação de uma equipa sénior masculina de futsal federado. Foi mais um passo para a consolidação da modalidade na coletividade que, aos poucos, está a criar uma escola com vários escalões federados. Neste momento, existem três: iniciados, juvenis e seniores masculinos. Há três épocas, existia apenas a de iniciados, que ainda teve a experiência de uma época na 1.ª Divisão distrital, acabando por regressar à 2.ª Divisão na temporada que começou recentemente.
A equipa sénior federada surgiu como uma recompensa para os atletas que competiram no campeonato concelhio na temporada transata. “Na altura, disse-lhes que, se tivessem um comportamento honroso, talvez lhes fosse dado um prémio. Realmente, os atletas comportaram-se de forma digna, pois no aspeto disciplinar foram os melhores. Assim, dando seguimento à promessa feita e uma vez que havia verbas suficientes para suportar os custos que uma competição deste tipo acarreta, resolveu-se avançar”, contou Luís Neves, presidente do CR Bougado.
O “bom comportamento” de todas as equipas é ponto de honra para a direção do clube e por isso, segundo Luís Neves, é um dos objetivos para a época 2015-2016. O outro é “conseguir sempre os melhores resultados desportivos”, tendo em conta que estes “ajudam” para a obtenção de “apoios” e, por conseguinte, a “melhor gestão” da coletividade.
O dirigente não escondeu o desejo de ver criada, na próxima temporada, uma equipa de juniores, no entanto, este projeto “está dependente do apoio que se tiver”, nomeadamente no que toca a recursos humanos. Luís Neves revelou ainda que está em cima da mesa “a criação de uma nova modalidade”, que depende “de obras a realizar” no pavilhão e que estão “a ser projetadas”. Quanto à modalidade em si, “fica, por ora, no segredo dos deuses”, afirmou.
Um dos problemas que a direção do clube se depara sempre que chove é a humidade que, algumas vezes, obriga ao adiamento de jogos oficiais. Luís Neves confirmou que “existe solução”, mas “face ao valor que esta implica, o clube vai continuar a tentar arranjar um recurso mais apropriado às verbas que se consegue obter ano após ano”.
Para breve está o lançamento do “Recreativo”, um boletim informativo do CR Bougado, que “será distribuído pelos sócios e não sócios de forma gratuita”. A intenção, explicou Luís Neves, “é dar a conhecer mais a coletividade”.

Juvenis querem chegar ao play-off de promoção

Pelo segundo ano consecutivo na 2.ª Divisão distrital, na qual ficou em 4.º lugar em 2014/2015, a equipa de juvenis do CR Bougado tem como objetivo “tentar o acesso ao play-off de subida”, uma vez que não há promoções diretas esta temporada, visto existir três séries na divisão.
O treinador, Fábio Ferreira, traçou como objetivo “um dos dois primeiros” lugares da série 3, mesmo defendendo que “há mais quatro ou cinco equipas com qualidade para lá chegar”. A par deste objetivo, o técnico apontou ainda “a evolução dos atletas” na modalidade. “Temos um plantel vasto com 14 atletas. Metade vem de uma descida (iniciados) e enfrenta agora outra realidade e isso implica uma fase de adaptação e, com isso, tempo. No entanto, conseguimos manter a base da época passada, onde fizemos um campeonato extremamente positivo e que nos dá garantias para lutar pelo objetivo desportivo”, acrescentou.
Já Tiago Portela lidera os destinos das equipas de iniciados e seniores masculinos. Quanto à primeira, o técnico apontou como meta “fazer uma boa época” na 2.ª Divisão, para onde a equipa foi relegada depois da descida na época transata. O grupo “é novo” e a maior parte dos atletas “nunca jogou futsal federado e é iniciada de primeiro ano”. A equipa tem ainda dois jogadores com idade do escalão infantil. Como dificuldades aguardadas, o treinador elencou a gestão que os atletas terão de fazer do desporto com a escola.

Já com os seniores, Tiago Portela espera “ganhar alguma experiência” no ano de estreia para “poder pensar melhor no futuro”. “Eu acredito neste plantel. Tenho jogadores com qualidade, falta é experiência no futsal federado, porque parte deles vem do futebol”, frisou.
Ainda em competição na Taça distrital, o treinador quer “ir o mais longe possível” nesta competição.