Bandeira branca levantada: início da corrida… O gesto repetiu-se vezes sem conta, ao longo da tarde do último domingo, em S. Mamede do Coronado, durante a Primeira Grande Corrida de Galgos.

A Comissão de Festas do Divino Espírito Santo promoveu a Corrida de Galgos para angariar fundos para as festividades que decorrem entre os dias 21 e 24 deste mês. Adriano Vasconcelos, presidente da Comissão de Festas, destacou que a prova realizada “é já considerada a melhor do país”. A actividade “foi um êxito total” e a adesão do público foi a maior surpresa da tarde: “É fantástico ver esta gente toda, não estávamos à espera”, confessou o responsável.

A corrida contou com a participação de 78 animais e o balanço final foi “excelente” tanto para a organização como para a Associação Galgueira e Lebreira do Norte, que esteve representada pelo seu presidente, José Ferreira.

O representante da associação nortenha mostrou-se muito satisfeito com a organização da prova: “Esta prova, em termos de organização, é das melhores que já vi. A pista foi preparada com esmero e é do melhor que há”, sublinhou. Para José Ferreira, o público foi uma grande surpresa, já que “não esperava encontrar tanta gente”.

As corridas de galgos são uma actividade bastante “dispendiosa”, com animais importados que rondam os cinco mil euros, para além dos treinos e da alimentação, que também têm custos “elevados”. Ainda assim, José Ferreira considerou que “existem bons animais em Portugal.”

A Comissão de Festas do Divino Espírito Santo está também a desenvolver outra actividade, que culminará durante as festas: um concurso de karaoke, que dá oportunidade aos finalistas de actuarem na noite do dia 21. Adriano Vasconcelos reconheceu que, actualmente, “a Comissão depara-se com muita dificuldade a nível económico para fazer as festas”. A actuação dos concorrentes finalistas numa das noites “é uma actividade que fica relativamente barata, porque é feita com a prata da casa, mas que proporciona um excelente espectáculo”.