A Feira Anual da Trofa iniciou no sábado dia 2 de março de 1946, no Parque de Nossa Senhora das Dores, um grande espaço arborizado e com centralidade excelente, que era pertença da Junta de Freguesia, sendo o Presidente o senhor António da Costa Campos e o pároco o Padre Alberto Pinheiro Machado. Há setenta e dois anos as terras Bougadenses e as freguesias circunvizinhas das duas margens do rio Ave festejaram este grande acontecimento, que assinalava a prosperidade de todo um povo em desenvolvimento. Assim nasceu a Feira semanal ao sábado durante a manhã, como ainda hoje é habitual.
Todos os anos no primeiro sábado de março, decorre com pompa e circunstancia a Edição da Feira Anual da Trofa, promovida pela Câmara Municipal e pela Junta (Bougado) S. Martinho e São Tiago, que se empenham num trabalho árduo e de esmerado cartaz. Há vários anos a Feira mudou para um local de mais espaço, no termo das duas Freguesias, aliviando assim o muito incómodo na Estrada Nacional n.º 14, entre Porto – Braga, no centro da Rotunda do Catulo.
Através dos anos a Feira Anual foi-se desenvolvendo a todos os níveis, começando a ser conhecida em todo o país. Atualmente muito mais enriquecida pela modernidade com um esmerado evento de diversidade de concursos das raças de gado, corrida de cavalos muito atrativa desde sempre, exposições de modernas máquinas agrícolas e tratores. Tem rica gastronomia com paladares genuínos apetecíveis pela qualidade dos variados pratos de degustação nas tasquinhas, os doces conventuais e outras iguarias da região. Fazem também parte o festival de folclore, concertos com famosos cantores nacionais, assim como a Banda Filarmónica da Trofa e outros grupos musicais. Este é um encontro de tradições ancestrais bem vivo que a Feira Anual proporciona aos visitantes.
A Feira Anual arrasta alguns milhares de pessoas, muitas das quais vindas de outras terras do país e atrai a participação de expositores de todas as regiões, agricultores, criadores, produtores, empresários, artesanato e divulgação de produtos locais e nacionais variados. Os valiosos prémios entregues pela Edilidade e pelo Ministério da Agricultura são ponto alto do certame. Esta é uma das maiores Feiras Anuais do nosso país, com importantes negócios comerciais que envolvem milhares de euros. O senão dos três dias de Feira Anual, é quase tradição o tempo estar chuvoso, pelo que desarranja a beleza que ela transmite quando está um sol maravilhoso. Mas, o calor humano, esse permanece sempre no certame, oferecendo magia e alegre criatividade. Os meios de comunicação social presenteiam realce positivo a todo o cartaz envolvente.
No final do evento já se está a pensar na Feira Anual do ano seguinte, porque o desenvolvimento de um Concelho é constante, num crescimento sustentável em benefício de todos. A Feira é Património Cultural e de identidade regional e nacional.
Firmino Santos