A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão aprovou por unanimidade a atribuição de uma verba total de 294 mil euros às três corporações de bombeiros voluntários existentes no concelho e a um núcleo da Cruz Vermelha Portuguesa.

 Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão atribui subsidio.

De acordo com a proposta apresentada pelo pelouro da Protecção Civil,ao longo do ano em curso, a Câmara Municipal vai transferir 84 mil euros para as corporações Voluntários de Famalicão, Voluntários Famalicenses e Voluntários de Riba de Ave, e 42 mil euros para o núcleo da Cruz Vermelha Portuguesa de Ribeirão. Esta associação é contemplada com metade da verba dos bombeiros pelo facto de nas suas actividades não constar o combate e a prevenção de fogos florestais.

Para o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Armindo Costa, a atribuição destes subsídios, “concretiza o reconhecimento da sociedade civil pelos serviços prestados pelos bombeiros voluntários, seja no transporte de doentes, na prevenção e combate a incêndios ou no socorro de feridos, tendo sempre como lema e missão a protecção de vidas humanas”. "É um serviço público e social insubstituível", frisou Armindo Costa.

De acordo com Armindo Costa, o apoio financeiro do município visa “contribuir não só para o equilíbrio dos orçamentos das corporações, mas também para que as corporações possam fazer uma correcta programação dos seus investimentos”.

Recorde-se que esta forma de apoio atribuído pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão a todas as corporações de bombeiros do concelho foi decidida por Armindo Costa logo no início do seu primeiro mandato, em 2002. “Com esta medida, a autarquia concretiza uma verdadeira política de protecção civil, canalizando uma ajuda financeira clara para cada uma das três corporações, que é transferida todos os meses", assinala ainda a propósito, o autarca.

PLANO MUNICIPAL DA DEFESA DA FLORESTA

 

Entretanto, o executivo municipal aprovou também a atribuição de um subsídio de 2.500 euros para custear uma série de acções de sensibilização previstas no Plano Municipal da Defesa da Floresta, aprovado recentemente.

As atribuições do Plano Municipal da Defesa da Floresta contra incêndios passam pela definição de um conjunto de medidas mais eficazes para a previsão e planeamento das intervenções em consonância com o Plano Nacional de Defesa da Floresta e com o respectivo Plano Regional de Ordenamento Florestal.

Um dos seus objectivos primordiais passa pela sensibilização da floresta, através da promoção de acções quer junto da comunidade escolar, quer destinadas à população em geral. As iniciativas são habitualmente realizadas em articulação com a Juntas de Freguesia, que têm demonstrado muito interesse na organização de colóquios, estando já previstas 19 acções de sensibilização para este ano, um pouco por todo o concelho. As intervenções estarão a cargo do Gabinete Técnico Florestal e da Associação de Silvicultores do Vale do Ave.