O condutor de uma carrinha de transporte de roupa da marca Tiffosi foi assaltado e sequestrado, na Trofa, por um grupo armado que levou mercadoria cujo valor ascende a 500 mil euros.

 A vítima, de 23 anos, teve de receber tratamento hospitalar porque feriu-se ao fugir dos assaltantes.

O caso remonta ao início da noite de sexta-feira, pouco antes das 20 horas, quando o jovem seguia na Rua da Paz, em S. Martinho de Bougado. Foi então surpreendido por um grupo, ao que tudo indica de quatro indivíduos, que o obrigou a parar, sob a ameaça de armas de fogo.

De seguida, os assaltantes apoderaram-se da carrinha, pertencente a uma firma de Alfena (Valongo), levando o condutor sob sequestro até um pinhal situado em Covelas, ainda na Trofa.

Ali,cerca das 21.45 horas, abandonaram a vítima e roubaram a roupa que era transportada na carrinha. Ao fugir do local, o condutor sofreu uma queda de um muro, de uma altura de cerca de cinco metros, e ficou ferido. Posteriormente, conseguiu apanhar boleia de um automobilista e deu entrada no Hospital de S. João, no Porto, tendo alta cerca das 6 horas. A PJ investiga.

Assaltantes agrediram taxista

Um taxista foi assaltado e agredido por três indivíduos de aparência jovem, durante a madrugada de ontem, em S. Romão de Coronado, na Trofa. A vítima, com cerca de 50 anos, teve de receber tratamento hospitalar.

Segundo o JN apurou junto de um colega do motorista, tudo terá acontecido cerca das 5 horas da manhã, quando os três assaltantes tomaram o táxi, na Rua de 31 de Janeiro, no Porto, pedindo então para serem transportados para a Trofa.

A determinada altura, o taxista terá desconfiado das intenções dos supostos clientes e questionou-os, tendo eles afirmado que não tinham dinheiro para pagar a corrida. O motorista terá então ameaçado que os levava à polícia, e eles reagiram com violência, agredindo-o.

Os assaltantes, que aparentavam cerca de 20 anos, retiraram a carteira e o telemóvel ao motorista e ainda roubaram a chave do táxi. Terão ainda perguntado se o visado tinha alguma pistola. O taxista foi depois ajudado por moradores das proximidades e transportado ao hospital, tendo alta depois de receber tratamento. De acordo com um colega, "ficou num estado lastimável e mal podia abrir os olhos". O caso foi participado à GNR.

In JN