A Comissão Política Concelhia do PAN – Pessoas-Animais-Natureza questionou a Câmara Municipal da Trofa relativamente à posição do executivo quanto a um possível resgate do contrato da concessão de abastecimento de água no município da Trofa.

O PAN em comunicado enviado aos orgãos de comunicação social “defende que a concessão do serviço de captação, tratamento e distribuição de água deve estar na esfera pública, na medida em que a água é um recurso essencial à vida, logo não deve ser gerido pelo setor privado. Entende-se que assim o interesse e o serviço público, assim como a qualidade de vida das populações estão melhor assegurados”.


Fernando Flores Geração, porta-voz da concelhia da Trofa, considera que“os contratos de concessão destes serviços a privados revelaram-se, ao longo do tempo, como uma má opção ao nível financeiro, pois acarretam um elevado custo nas taxas cobradas aos munícipes.

” Citando dados da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (Ersar), recordou que “dos 25 concelhos com o abastecimento de água mais caro do país, 24 estão a cargo de empresas privadas, sendo que no topo desse ranking está a Trofa que, juntamente com Santo Tirso, tem a água mais cara do país!”
O PAN considera que seria uma mais valia a Câmara Municipal da Trofa proceder ao resgate da concessão do serviço de água, por forma a possibilitar que os munícipes pagassem taxas mais baixas e, por conseguinte, mais justas, relembrando que outros municípios, como Santo Tirso ou Mafra, já procederam ou iniciaram esse processo