Quando em Novembro de 1998 fomos a Lisboa buscar o concelho sentíamos em todo o lado a união, a vontade de fazer um concelho diferente.

Meses depois, quando a Comissão Instaladora tomou posse, ainda se mantinha a esperança numa gestão equilibrada, sem favores a este ou àquele senhor, no permanente respeito pela vontade popular, na promoção de vários fóruns que proporcionassem aos trofenses espaço para emitirem as suas opiniões sobre o nosso futuro.

Passaram-se sete anos, as promessas continuam no papel mas o desencanto junto dos trofenses é cada vez maior.

§ O PDM foi prometido para o início de 2001 e ainda o aguardamos.

§ As Variantes são defendidas na Trofa por todos os partidos, mas quando o PCP propõe o seu financiamento ao nível da Assembleia da República recebe o chumbo do PSD, do PS e do CDS.

§ O Metro está projectado há vários anos, mas a sua vinda para a Trofa continua sucessivamente relegada para segundo plano enquanto o “amigo” de Gaia consegue ter já em funcionamento linhas que nem sequer estavam projectadas.

§ A electrificação provisória continua mesmo depois de todos os ditos e desditos do Presidente da Câmara.

§ O rio Ave continua poluído e com as margens abandonadas, no entanto a Câmara propôs a criação do parque das azenhas há quatro anos. Agora, com vergonha de propor o mesmo muda-lhe o nome e chama-lhe cidade das azenhas!

§ O Castro de Alvarelhos, é monumento nacional há décadas e a Câmara além de não ser capaz de o recuperar, também não é capaz de o promover sequer junto da população do concelho.

§ O Pavilhão Desportivo Municipal com piscinas, campos de ténis e circuitos de manutenção que prometeu há quatro anos também não existem.

§ As piscinas municipais foram anunciadas com toda “pompa e circunstancia” na véspera das eleições, agora sabemos que tudo aconteceu à pressa e faltava desafectar os terrenos da Reserva Ecológica Nacional.

§ A Habitação Social foi alegadamente entregue alguns dias antes das eleições, mas as pessoas continuam sem poder ir para as suas casas. Durante a campanha, o desespero do PSD fez com que distribuíssem panfletos dizendo “HABITAÇÃO SOCIAL EM NOVEMBRO, BERNARDINO VASCONCELOS GARANTE!” … só que já estamos em Dezembro e as casas ainda nem são da Câmara!

§ O edifício sede da Câmara continua por construir, gastando a Câmara rios de dinheiro a pagar alugueres.

 

É obvio que não é tudo, mas estes exemplos não permitem acreditar que esta Câmara seja capaz de inverter o que de errado fez no mandato anterior.

No entanto, graves preocupações juntam-se a estas e do Presidente da Câmara espera-se respostas nomeadamente:

  • Se pode dizer aos trofenses quando é que haverá o PDM para o nosso concelho que, aliás, tinha prometido para 2001?
  • A nova ponte sobre o rio Ave, que prometeu na campanha eleitoral, qual é a sua localização e quando será construída?
  • Como encara o facto do PSD, o PS e o CDS terem chumbado a proposta do PCP de atribuição de verbas cara a construção das Variantes?

 

Muito mais podia ser questionado tal é a carência de infraestruturas na Trofa, mas será que pelo menos estas têm uma resposta clara e objectiva?

 

 

Jaime Toga