O Colégio da Trofa situado na freguesia de S. Martinho de Bougado foi desde sempre considerado um espaço de referência no ensino privado da região. Agora, com 300 alunos e uma nova administração, adapta-se às novas tecnologias e com os mais modernos equipamentos e propostas educativas pretende ser a primeira escolha para todos os pais e alunos da Trofa e da região.

 “Uma alternativa qualificada no ensino”. É desta forma que Manuel Pinheiro, director do Colégio da Trofa define a instituição que no início deste ano lectivo assumiu um compromisso de oferecer aos trofenses “um ensino de excelência e de referência”.

Com 300 alunos neste momento, o Colégio pretende aumentar o número e aposta na introdução do ensino secundário, uma valência que a instituição não tinha. “Era uma lacuna grande para aquilo que se quer de um projecto de referência e portanto nós decidimos avançar também com o ensino secundário, para o ano teremos o 11º ano e eventualmente também o 12º, ou seja, nós prevemos que daqui a dois anos o Colégio da Trofa tenha 500 alunos”, adiantou o director.

O Colégio da Trofa, até agora designado por Externato Nossa Senhora das Dores, era pertença da diocese do Porto. Era já considerado, segundo Manuel Pinheiro “um estabelecimento de ensino particular que muito serviu a comunidade trofense e foi durante muitos anos uma referência no tecido educativo desta região”. No entanto, os anos passaram e com a passagem do Colégio para as mãos de Manuel Pinheiro e da família Gomes, a mudança chegou. “Nós pegámos nesse projecto para o dinamizar e para que ele, agora, no século XXI, seja uma verdadeira referência no tecido educativo da Trofa como também desta zona envolvente à Trofa”, explicou o director. Por isso, para além do alargamento ao ensino secundário, a escola também foi ampliada e reestruturada.

“Este estabelecimento de ensino estava a precisar de grandes obras de manutenção, de recuperação. O equipamento estava a precisar de uma alteração substancial. Substituímos todo o mobiliário, dotamos todas as salas de aula de quadros interactivos e levamos a internet a todas as salas de aula, reequipamos as salas de laboratório com mais material didáctico e já temos um bar”, enumerou o responsável.

Para daqui a um mês está ainda previsto que terminem as obras de construção do pavilhão gimnodesportivo e da cantina escolar.

Para além dos recursos físicos, o Colégio da Trofa aposta ainda na qualificação dos recursos humanos. “Somos extremamente exigentes no perfil e na qualidade dos professores que admitimos aqui no Colégio”, frisou Manuel Pinheiro.

Estes são segundo o Colégio da Trofa os ingredientes necessários para um sistema de ensino de referência com a “valorização física, cultural e intelectual dos alunos”. Mas Manuel Pinheiro acrescenta ainda um conjunto de actividades extracurriculares, nomeadamente a natação com recurso ao Aquaplace – Academia Municipal da Trofa, o Bushido, uma arte marcial, a capoeira, o ballet e actividade musical para além daquela que é leccionada nas actividades curriculares.

“Os alunos aderem muito bem, naturalmente que só este ano implementamos estas actividades, no próximo ano vamos melhorar as existentes e introduzir outras”, acrescentou.

A instituição pretende ainda ser “um espaço cultural para a Trofa e arredores”, valorizando o espaço do Colégio com palestras, assuntos da actualidade e ligados ao ensino, exposições, concertos de música, abertos ao público.

O pavilhão gimnodesportivo, segundo Manuel Pinheiro, também poderá ser utilizado: “estamos abertos a ceder o pavilhão para que a população da Trofa, seja a população civil, ou a que está enquadrada em clubes e associações possa utilizá-lo a partir das 18.30 horas e aos sábados e domingos”.