Colégio da Trofa comemorou o Dia do Pai com uma partida de futebol disputada pelos progenitores dos alunos do ensino pré-escolar e do 1º ciclo do Ensino Básico. Mais pequenos organizaram uma claque para incentivar os progenitores.

A Claque Super Pai, bem afinada, apoiava os pais que dentro das quatro linhas jogavam futebol. Foi desta forma que no Colégio da Trofa, na sexta-feira, se comemorou o Dia do Pai… com cânticos de apoio, cartazes e muita bola à mistura. Os alunos do ensino pré-escolar e do 1º ciclo do Ensino Básico afinaram as gargantas e gritaram a uma só voz: “Pai, tu és o maior!”. Esta era a frase de ordem, mas muitas outras figuravam nos cartazes preparados pelos mais pequenos.

Inês Borges, aluna do Colégio foi peremptória: “O meu pai é o maior”. Filha de Rui Borges, o ex-jogador do Clube Desportivo Trofense, Inês diz que sempre garantiu apoio ao pai, mesmo quando ele era profissional.

Já o pai de Vasco Araújo, Celestino Araújo, é um jogador amador, mas mesmo assim, o filho não deixou de se empenhar no seu apoio. “Ele portou-se bem a jogar futebol”, afirmou. Quanto aos golos, Vasco não tem a certeza se o pai marcou algum, mas sabe que ouviu “os colegas do 2º ano a gritar golo uma vez”.

A animação e energia dos filhos fora das quatro linhas contagiou os pais. Entre os cerca de 70 participantes, encontravam-se jogadores profissionais e outros amadores, mas todos correram atrás da bola motivados pelos mais pequenos.

 

 “Esta é uma iniciativa fantástica, porque é muito importante que os pais percebam o que é que os filhos fazem e as actividades que desenvolvem e é importante para os filhos perceberem que os pais estão interessados e envolvidos nas actividades da escola”, adiantou Rui Borges. Como jogador profissional, confessou que “nunca tinha tido uma claque deste género”. “Os nossos filhos são fantásticos, são o nosso maior tesouro e com estas surpresas só temos que os mimar ainda mais”, frisou.

Já Celestino Araújo veio motivado pelo filho Vasco: “Eu não jogo futebol, nem pratico nenhuma actividade desportiva, mas decidi participar”. Quanto à claque, a ideia era mesmo fazer com que se divertissem numa festa “engraçada para os pais, filhos e professores”.

A iniciativa que tinha como objectivo comemorar o Dia do Pai, trazendo os progenitores até à escola, foi um sucesso. Manuel Pinheiro, um dos responsáveis pelo Colégio da Trofa, mostrou-se satisfeito com a organização do evento e no final “foram todos vencedores”. “Acima de tudo, o que nos alegra é ver os pais e os filhos felizes, por isso damos por conseguido esse objectivo. O trabalho que estamos a desenvolver no dia-a-dia resulta de um envolvimento muito grande entre pais, mães e alunos, no sentido de que este projecto educativo tenha mais valor”, acrescentou.

No final desta competição saudável, ficou a promessa de que a iniciativa se vai repetir no futuro.