Em Cidai, Santiago de Bougado, nasceu a ACRESCI – Associação Cultural Recreativa e Social de Cidai. A apresentação foi feita durante um jantar, na presença de centenas de pessoas.

Uma espécie de mão que pode servir para “ajudar, reunir ou trabalhar”, de cor verde, simbolizando “o vigor, a juventude e a esperança” é o complemento da sigla da Associação Cultural Recreativa e Social de Cidai – ACRESCI, que foi apresentada no sábado à noite. Acrescer significa “vir juntar-se a”, “aumentar”, “crescer” e, precisamente por isso, esta foi a escolha dos fundadores para o nome pelo qual a associação vai ser conhecida.

A Quinta Zé Emílio, em Santiago de Bougado, recebeu cerca de 300 pessoas que fizeram questão de estar presentes na apresentação da mais recente associação do concelho. José Carlos Costa, presidente da direcção da ACRESCI, explicou que a ideia de criar uma colectividade para a aldeia surgiu “há dois ou três anos”. “As pessoas organizavam-se para promover uma acção determinada, mas ficavam-se por ali, sentia-se que existia alguma vontade de evolução, mas parecia que ainda não tinha surgido o par certo. Assim, um grupo de pessoas avançou com o espírito comum de que Cidai precisa de um movimento deste tipo, que traga uma certa dinâmica”, atestou.

A colectividade pretende levar algumas “novidades para a aldeia”, como a organização de um “arraial de S. João”, ao mesmo tempo que mantém outras iniciativas como a “montra de espantalhos” que já é promovida pela Escola Básica da aldeia. Aliás, a possibilidade de o estabelecimento vir a fechar no próximo ano lectivo foi um dos pontos abordados nesta noite e os responsáveis da associação esperam que o edifício da escola possa ser utilizado para servir a aldeia, no caso de “infelizmente” não existirem alunos suficientes para frequentar o espaço.

Durante o jantar, José Carlos Costa evidenciou que uma das necessidades mais prementes da associação era a aquisição de um computador e pouco depois via o seu pedido ser atendido pela empresa Macof. E como uma oferta nunca pode vir só, a ACRESCI foi ainda brindada com uma impressora, oferta da firma Norsider. “Basta lançar o repto e afinal há resposta”, declarou o presidente, contente com o apoio das empresas.

No dia da apresentação, a ACRESCI não ganhou apenas um computador e uma impressora, mas recebeu também responsabilidade, já que António Azevedo, presidente da Junta de Santiago de Bougado, quer contar com esta associação no projecto “Bougado Solidário”, que vai ser implementado a partir deste mês na freguesia: “Santiago tem muitas famílias a necessitar de apoio social. Esta associação, com objectivos sociais e culturais, é óptima para a freguesia. O projecto da Junta visa apoiar ocasional e temporariamente as famílias em momentos de maiores dificuldades financeiras”.

O executivo camarário também marcou presença no jantar. No final, o vereador Assis Serra Neves, bougadense e com “uma costela de Cidai”, confessou que estava “contente por presenciar este momento”. “Esta é uma associação que, pela forma como foi criada e pelas características de Cidai,  tem todas as possibilidades para se sustentar. Eu realmente aposto nesta colectividade”, atestou.

Consciente das dificuldades, José Carlos Costa frisou que esta “não é mais uma associação” e pediu aos presentes para “reflectirem em tudo o que foi dito ao longo da noite para que todos possam trabalhar em conjunto de forma a levar a cabo tudo o que seja de interesse para Cidai”. “A maior resposta que podemos ter do povo de Cidai é que apoie a associação”, acrescentou.