centro-comunitario 

Seniores assinalaram oitavo aniversário do Centro Comunitário da Trofa com a presença da presidente da Câmara e vereadores.

A mesa recheada de bolos e verdadeiras “especialidades” denunciava a festa. O Centro Comunitário da Trofa festejou o oitavo aniversário, um dia depois do feriado municipal, com boa comida, muita música e animação. Os utentes esmeraram-se para receber a presidente da Câmara, Joana Lima, e restante equipa e para eles reservou um momento de música tradicional portuguesa, afincadamente preparado.

Os seniores que ocupam, regularmente, o espaço não quiseram defraudar a visita especial e mostraram ainda à edil e vereadores, através de fotografias, um pouco das muitas actividades que desenvolvem durante o ano.

Depois da música, Joana Lima fez questão de dar a voz aos utentes, que como presentes de Natal pediram um acordeão e ferrinhos para abrilhantar ainda mais os momentos musicais.

Cantaram-se os parabéns ao Centro e ao concelho, e depois a presidente fez questão de oferecer as primeiras fatias do bolo às utentes mais velhas.

Em declarações ao NT, Joana Lima afirmou que conseguiu certificar-se “da alegria estampada nos rostos dos idosos”, que terão “sempre” o seu apoio e carinho. “Contrariamente ao que foram dizendo ao longo dos tempos que eu não tinha nenhum carinho nem apreço pelos idosos, pois não é verdade, por isso estou aqui, por isso deixei muito trabalho por fazer, para estar com eles e estarei sempre que me solicitarem”, garantiu.

Já Isabel Veiga, chefe da Divisão da Acção Social, congratulou-se pelo número satisfatório de seniores que frequentam o centro, não só de S. Martinho, mas também de freguesias distantes como Guidões.

No Centro Comunitário da Trofa, os utentes têm oportunidade de participar em diversos ateliers, como canto, culinária, bordado, pintura e informática.

“Depois temos a parte mais lúdica, com jogos. Eles gostam imenso de jogar às cartas, dominós”, afirmou a responsável.

Isabel Veiga explicou ainda os projectos da Divisão da Acção Social, que aproveita o Trofabus para levar os ateliers “a todas as freguesias, não só aos mais idosos, mas também para mostrar os trabalhos que eles fazem”.

“Temos ainda intercâmbio com outros centros de convívio do concelho, já tivemos um convite para ir ao Lar Padre Joaquim Ribeiro, para os seniores fazerem troca de conhecimentos”.