A criação de um centro cívico na zona envolvente à igreja de Mogege, no concelho de Vila Nova de Famalicão, com a recolocação dos cruzeiros no seu local de origem e a plantação de oliveiras, “vai honrar o passado e repor a história da freguesia”. A afirmação foi proferida pelo presidente da Junta de Freguesia de Mogege, Manuel Pimenta, esta terça-feira, durante a cerimónia de lançamento da primeira pedra para a criação do centro cívico, que contou com a presença do presidente da Câmara Municipal, Armindo Costa.
Para além da recolocação dos cruzeiros actualmente espalhados pela freguesia e da plantação de oliveiras, as obras vão implicar ainda o alargamento do espaço, com a demolição de um muro lateral, a requalificação do fontanário, a colocação de um novo pavimento e a substituição da iluminação. Com um custo total de cerca de 75 mil euros, as obras vão beneficiar de um apoio municipal de 70 mil euros, fruto de um protocolo de colaboração celebrado entre a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal.
Para o presidente da Câmara Municipal, Armindo Costa, “a criação do centro cívico, mesmo limitado pela falta de espaço, será uma mais-valia para a freguesia, pois será um espaço de convívio e de lazer para a população”. Para Armindo Costa, “a igreja de Mogege está implantada num dos lugares mais bonitos da freguesia”, no entanto, as construções que nasceram à sua volta, acabaram por “escondê-la”. “Com esta obra vamos tentar devolver à igreja o destaque e a dignidade que merece”, afirmou o presidente da Câmara Municipal.
Por sua vez, Manuel Pimenta, explicou que esta obra surge na sequência de um conjunto de reabilitações urbanas que decorreram no centro da freguesia. O presidente da junta de freguesia aproveitou a oportunidade para solicitar a Armindo Costa algumas intervenções para Mogege, nomeadamente a criação de uma rotunda na via intermunicipal (VIM) que liga Joane a Vizela.
O presidente da Câmara Municipal atendeu aos pedidos de Manuel Pimenta, referindo que “a autarquia está atenta às necessidades das várias freguesias e, dentro das suas possibilidades tem vindo a investir em todas elas”. No que diz respeito à criação da rotunda, Armindo Costa disse que “é necessário chegar a um acordo com os vários municípios que gerem a VIM”, que para além de Famalicão, inclui ainda Guimarães, Vizela e Santo Tirso. O presidente da Câmara deixou ainda a garantia, que a população de Mogege “pode contar com o empenho da autarquia na resolução deste problema”.