Formar para desenvolver. O Cenfim continua com o seu percurso de sucesso rumo à certificação e entregou, na passada sexta-feira, 16 diplomas de especialização de nível 4 de um curso de formação.

  "O Cenfim é cada vez mais uma instituição que aposta no desenvolvimento do concelho da Trofa" foi a mensagem deixada pelo director Branco Rodrigues que entregou 16 diplomas de especialização de nível 4 de um curso de formação.

Este nível, que integra 1580 horas em horário pós-laboral, equivalente a cerca de 2 anos, está ao abrigo de protocolos celebrados entre o Cenfim e a Universidade do Minho, ISEP, Faculdade de Engenharia do Porto, apesar de ser aplicável apenas no ISEP, já que é a única instituição que disponibiliza aulas em horário pós-laboral.

O director do Cenfim, Branco Rodrigues, estava satisfeito com os resultados obtidos: "temos um sucesso 100 por cento, felizmente. Temos pessoas muito motivadas, vieram de um curso nível três, trabalham como técnicos intermédios da área em que se  especializaram e fizeram uma especialização nível quatro, que lhes permite um acesso à universidade. Já temos engenheiros que iniciaram a sua formação aqui e são pessoas de sucesso e grande competência profissional".

O êxito da escola só pode ser explicado com um núcleo de profissionais "também qualificado", referiu o director, não deixando de frisar o "excelente" trabalho desenvolvido pelo Cenfim na Trofa, apesar do sentimento que reina nos responsáveis da instituição é o de serem "mal-amados", nomeadamente "pelas autoridades locais". Branco Rodrigues alertou para a "necessidade de meios" para o Cenfim funcionar melhor e sem tanta "preocupação financeira". Com uma população de 220 alunos por ano e cerca de 50 colocados em empresas, também anualmente, a administração pretende duplicar o número de alunos, face às exigências das empresas, que "apoiam e valorizam o trabalho desenvolvido pela instituição", razão que explica as obras de ampliação do Cenfim. "Desde há cinco anos que temos feito esforços no sentido de criarmos condições físicas em termos de instalações e equipamentos e mesmo conseguindo, as novas infraestruturas ainda não estão adaptadas".

Também Tomé …, administrador do Cenfim, apela para a contribuição da Câmara Municipal na gestão e manutenção da instituição. "Como empresário da Trofa, para mim era um grande desgosto ver o Cenfim sair da Trofa. Por isso é que apelo para que o senhor Presidente da Câmara nos ajude. Temos muita vontade de desenvolver a Trofa, mas atravessamos muitas dificuldades".

O administrador confidenciou que é premente a "contribuição do executivo camarário com verbas" e mostrou-se esperançado com a sua ajuda: "acho que quando lhe expormos as nossas necessidades, Bernardino Vasconcelos vai ajudar-nos".

"Cursos de informática já estamos cheios disso". António Pontes, vice-presidente da autarquia trofense, parabenizou todos os contemplados com os diplomas e valorizou a necessidade de se formar com "serviços que sejam uma mais valia para a comunidade. O Cenfim abrange muitas dessas áreas e é por aqui que temos de começar a mentalizar que a riqueza que se cria no país cimenta-se com base nestas áreas".

Cenfim associa-se às "Novas Oportunidades"

O Cenfim integra a rede de Centros de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências, acreditado pelo Sistema de Acreditação de Entidades da Direcção Geral de Formação Vocacional – Ministério da Educação – e que se dirige a todos os adultos com idade igual ou superior a 18 anos, sem a escolaridade básica e que pretendam obter a Certificação Escolar equivalente ao 4º,6º ou 9º ano de escolaridade.

Este Centro procede à identificação e reconhecimento de competências adquiridas pelo adulto ao longo da vida em quatro áreas, Linguagem e Comunicação, Cidadania e Empregabilidade, Matemática para a Vida e Tecnologias de Informação e Comunicação.

A instituição desenvolveu também um Centro de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências Profissionais do Cenfim, que se destina aos profissionais do Sector da Indústria Metalúrgica, Metalomecânica e Electromecânica que pretendem ver certificadas as Competências Profissionais que adquiriram ao longo da sua vida.