A CDU foi o partido menos votado com 2,35 por cento dos votos para a Câmara Municipal (560) e 3,89 por cento para a Assembleia Municipal (926). Conceição Silva e Paulo Queirós encararam os resultados de “cabeça erguida” e sublinharam a subida da votação em Guidões e a reeleição de Atanagildo Lobo para a Assembleia de Freguesia.

A vontade de “resolver os problemas do concelho” e de lutar por “um futuro melhor” são objectivos adiados para Conceição Silva, que se candidatou pela CDU à Câmara Municipal da Trofa nestas autárquicas.

O pólo II da Câmara Municipal da Trofa foi o local escolhido pelos candidatos da CDU para acompanhar os resultados do escrutínio. O ambiente foi de descontracção e Conceição Silva mostrou-se satisfeita pela coligação manter Atanagildo Lobo como eleito na Assembleia de Freguesia de Guidões. Apesar da menor votação, a comunista garantiu que irá continuar a trabalhar. “Seja como for vamos continuar o nosso trabalho de cabeça erguida que é o nosso objectivo para bem de todos. Podemos ficar tristes mas baixar os braços não é a melhor opção”, defendeu.

cdu-1

Paulo Queirós, para quem os 3,89 por cento dos votos para a Assembleia Municipal não foram suficientes para ser eleito, realçou a subida em Guidões o que significa que o trabalho da CDU “é reconhecido”. Paulo Queirós não deixou de fazer referência à transferência do poder na Trofa do PSD para o PS. “É sinal de que havia um certo desgaste neste poder instalado e esperemos que seja uma boa opção do povo da Trofa e que traga um desenvolvimento diferente para o concelho”, afirmou.

Sublinhando que o trabalho da CDU será continuar a trabalhar em prol dos trofenses, Paulo Queirós garantiu que o PS poderá contar com “uma oposição directa, correcta e honesta no sentido construtivo, para fazer com que valha a pena viver no concelho da Trofa”.

Ao nível das Assembleias de Freguesia, Guidões foi onde a CDU registou a maior votação com 6,24 por cento. Em S. Romão do Coronado, a coligação obteve uma percentagem de 4,41 por cento, na freguesia vizinha S. Mamede 2,35 por cento e em Covelas 2,24 por cento. Já em Santiago a votação ficou pelas 2, 04 por cento, em S. Martinho de Bougado registou 1,86 por cento, enquanto em Alvarelhos a CDU obteve 1,19 por cento e no Muro apenas 0,88 por cento.