cdu_cidai 

Na Rua da Portela, em Santiago de Bougado, metade dos moradores têm à sua porta a rua pavimentada, mas outros não. A CDU denunciou o caso e lamentou o facto do “presidente da Junta ter acabado de afirmar que todas as ruas estavam devidamente pavimentadas”. António Azevedo, presidente da Junta de freguesia, desdramatizou o caso e justificou que “o local ainda está em obras”.

As máquinas ao fundo da Rua da Portela, em Santiago de Bougado, indiciam que as obras ainda não terminaram, no entanto os membros da CDU estiveram esta terça-feira no local e lamentaram o facto de a rua “não estar alinhada” e de ainda não ter sido concluída.

“É pena que com esta largura, se chegue e de repente se desemboque numa viela sem paralelo, o que se torna penoso para os moradores”, afirmou Paulo Queirós, candidato à Assembleia Municipal pela CDU.

Esta foi a primeira acção da CDU, depois de a campanha autárquica ter oficialmente iniciado na passada segunda-feira. “Tivemos que escolher um sítio para iniciar a campanha e infelizmente não faltam problemas no concelho da Trofa. Escolhemos este porque é numa freguesia da cidade da Trofa, em que o presidente da Junta tinha acabado de afirmar que todas as ruas estavam devidamente pavimentadas e o nosso candidato não precisou de muito para descobrir uma rua em que isso não se passava”, explicou.

De facto, “bastou” Costa Marinho “sair de casa” para ver que a rua de sua casa não estava totalmente pavimentada. “É um problema já antigo, porque para além dos camiões do lixo não poderem passar, as pessoas queixam-se há muito tempo e também é uma certa injustiça de não alinharem a rua. Há aqui um problema mais bicudo, porque não se pode alinhar a rua de um lado porque liquida a casa ao meu vizinho, vai ser um problema”, afirmou Costa Marinho, candidato pela CDU à Junta de Freguesia de Santiago de Bougado.

A Rua da Portela já teria sido alargada há alguns anos, no entanto e por existir uma casa o resto da rua continua mais estreita, garantem os comunistas. “O que me interrogo é porque não contactaram com os donos desta bouça (que está situada do outro lado da rua), já há muito tempo que falei com o presidente por causa disto e pelo menos até domingo não tinham contactado ninguém e sei isto porque são familiares meus”, esclareceu ao NT/Trofa Tv. Assim, na parte mais estreita da rua passa apenas um carro de cada vez. “Eu tiro o carro para a rua e se alguém vem em sentido contrário, não passa”, adiantou Costa Marinho.

“O que me preocupa é ver que já se fez esta rampa, o presidente diz que até ao fim do mandato que conclui a rua, mas é caricato porque se vai concluir a rua escusava de ter feito a rampa. Ele fez até ao meio da rua e até ao largo mais em baixo está por fazer”, acrescentou o candidato bougadense.

Costa Marinho lamenta a situação e garante: “Cheira-me um bocado a injustiça por saber que eu sou do partido comunista, não merecíamos isto”.

Conceição Silva, candidata pela CDU à Câmara Municipal da Trofa assegurou que “há solução, é preciso é vontade”. “A solução seria falar com o presidente da Junta que é uma pessoa que devia estar aberta à comunicação com os moradores, para que pudessem arranjar uma solução que era asfaltar o piso que falta e alinhar a estrada para ficar mais direita. Isto parece um caminho de uma aldeia rural, é de lamentar o que se passa”, postulou.

Contactado pelo NT/TrofaTv, o presidente da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado, António Azevedo, desdramatizou o caso e justificou que “o local ainda está em obras” e que “as máquinas não saem de lá enquanto não estiver a rua terminada”. O autarca lamentou este tipo de acções que “não passam de fait divers políticos”.