hospital stirso 1.JPG

 

 

 

 

Os deputados da CDU das Assembleias Municipais de Trofa e Santo Tirso estão contra as intenções do Governo no que diz respeito ao encerramento da maternidade do Hospital de Santo Tirso e já marcaram para esta quinta-feira uma reunião para decidir formas de luta.

A CDU dos dois concelhos (Trofa e Santo Tirso) agendou esta reunião convidando todos os interessados, sejam autarcas, profissionais de saúde ou população em geral para reunirem na quinta-feira às 21.30 horas, na sede da Junta de Freguesia de Santo Tirso. “O objectivo é definir formas de protesto contra as intenções do Governo de encerrar a maternidade de Santo Tirso e em defesa de novas instalações para um Hospital Público, inserido no Serviço Nacional de Saúde, que sirva com dignidade os concelhos de Santo Tirso e Trofa”, adiantou Jaime Toga, deputado comunista na Assembleia Municipal trofense.
Recorde-se que são realizados por ano mais de mil partos naquela unidade de saúde, o que para a CDU é uma razão mais que suficiente para manter aquela estrutura a funcionar, já que as populações dos concelhos de Santo Tirso e Trofa e ainda de algumas freguesias dos concelhos de Paços de Ferreira e Maia é a unidade hospitalar mais próxima.
Para a CDU ma forma de luta possível será fazer uma concentração com protesto de pessoas junto à porta do Hospital de Santo Tirso. “Este não será um protesto do PCP mas sim de todos que estejam contra este encerramento”, acrescentando que “os serviços de saúde não podem ser vistos encarados de uma forma economicista, mas como um direito de todos consagrado na Constituição da República”.
Outra das exigências dos comunistas é a construção das novas instalações de um hospital público, inserido no Serviço Nacional de Saúde, “que sirva com dignidade os concelhos da Trofa e Santo Tirso”, acrescentou.
Recorde-se que também o autarca tirsense Castro Fernandes está contra esta medida do Governo, afirmando-se “terminantemente contra o encerramento de um serviço tão importante quer para a população de Santo Tirso, quer para a população dos concelhos vizinhos”.