cavaco.jpg

 

 

 

 

A menos de uma semana das eleições Presidenciais, Cavaco Silva, garantiu em Famalicão que será o “Presidente do diálogo social”.

O candidato social-democrata esteve em Famalicão, num almoço com simpatizantes.

O candidato presidencial Cavaco Silva foi recebido por cerca de 1200 pessoas, domingo à tarde, na Quinta Nossa Senhora da Alegria, em Vila Nova de Famalicão.
O espaço tornou-se pequeno para receber todos aqueles que quiseram ver de perto o candidato à Presidência da República, apoiado pelo PSD e pelo CDS, que chegou com uma hora de atraso.

Muitos foram aqueles que ficaram à porta à espera de cumprimentar Cavaco Silva, apesar da chuva intensa.

Cavaco centrou o seu discurso na cooperação entre o Governo e o Presidente da República e no apelo ao voto, prometendo ser um líder “activo e empenhado” e não um “corta-fitas”.

cavaco.jpgCavaco nunca se referiu directamente a nenhum dos adversários, mas foi deixando algumas críticas muito leves e referiu que é o único candidato a defender a prática do diálogo social. Cavaco prometeu que, se for eleito, será «o Presidente do diálogo social» e recordou que perdeu (ou depois de corrigir, ganhou), «centenas de horas à volta de uma mesa a apostar no diálogo social. Foi isso que me fez assinar seis acordos de concertação social», afirmou

Presentes no almoço estiveram a mandatária distrital, Armindo Costa, presidente da edilidade famalicense e diversos presidentes de Junta. O candidato esteve ainda na Praça Cupertino de Miranda, onde contactou com os famalicenses.

“Os Governos devem completar os mandatos para os quais são eleitos, só assim poderão ser responsabilizados quando concorrerem a próximas eleições” aludiu Cavaco, sublinhando que “um pais que anda sempre a mudar de Governo não pode andar para a frente”, asseverou.

Dirigindo-se também aos partidos da Oposição lançou "Os partidos da Oposição, têm que entender que, face à situação difícil que o país atravessa, devem deixar de lado divisões que não fazem sentido". De manhã, o candidato foi a Guimarães e à tarde a Esposende.
No seu apelo repetido contra a abstenção, Cavaco Silva sublinhou o "respeito" que tem pelos eleitores. "Nunca me atrevo a antecipar resultados eleitorais, o que faço
é cumprir o meu dever de esclarecer os portugueses", sublinhou, afirmando já ter contactado com mais de 50 mil pessoas nesta campanha.
No almoço, esteve presente o líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Melo, que durante o processo de decisão interna de apoio a Cavaco Silva manifestou algumas reservas. "Este é obviamente o meu candidato, quanto mais não seja a partir do momento em que o CDS o apoia. Mas, mais do que isso, é o meu candidato tendo em conta as alternativas", afirmou.