Dina Luca, Mariela e Manuel Araújo, são os artistas que expõem na Casa da Cultura da Trofa, até ao final do mês. A inauguração contou com momentos de declamação de poesia.

Quem esteve presente na inauguração da exposição coletiva, realizada no dia 4 de fevereiro partilhou grandes momentos culturais, onde a declamação de poesia não faltou.

Manuel Araújo, Mariela e Dina Lucas, além de terem partilhado o gosto pelo ensino, também têm em comum o gosto pela pintura. Manuel Araújo, um dos artistas, afirma que quando soube que as colegas também pintavam, convidou-as para, juntos, exporem na Póvoa de Varzim, numa cooperativa filantrópica, onde a declamação de poesia e o cântico não poderam faltar. Quando o convite surgiu por parte da Casa da Cultura aceitaram de bom agrado, pois na sua opinião, “isto é uma forma de expressarmos aquilo que sabemos fazer”. O artista aprecia várias formas de pintar, mas, a sua expressividade, “está ligada à natureza”, pois o tema diz-lhe “sempre algo de diferente”. “Dentro da natureza vemos várias coisas, encontramos ruas, animais, mar e, tudo isso, que nos dá uma infinidade de trabalhos que poderemos fazer”, acrescentou, afirmando que gosta de fazer trabalhos com o mar e o ser humano.

Para Manuel Araújo, que usa óleo, acrílico e lápis nas suas obras, a pintura “é uma forma de estarmos na vida e de partilhar com os outros”. No final, o pintor deixou ainda uma mensagem aos artistas: “Uma vez que temos algum talento, acho que devemos divulgar às pessoas, pois só com as suas críticas é que podemos aperfeiçoar”.

Para Mariela a pintura “traz calma, paz”. “É pena em minha casa não poder pintar, pois tenho uma casa grande e não dá tempo. Então saio de casa, o que para mim é bom, pois vou pintar”, asseverou. A artista, que adora pintar um pouco de tudo, já trabalhou com óleo, aguarela e, em breve, irá pintar com a tinta da China e sombreados.

Segundo Dina Lucas, esta parceria “correu muito bem”, pois sempre que estão a trabalhar nas exposições, têm “ideias muito semelhantes”, onde “os quadros são distribuídos de acordo com os três”. A sua obra está particularmente centrada no “ser humano, emoções, sentimentos”, tendo também quadros de flores, paisagens e naturezas mortas.

Para Dina Lucas a pintura é um objetivo de vida, pois precisa “de ter algo íntimo onde possa exprimir” as suas emoções e sentimentos, caracterizando esta arte como “uma terapia”. “Aqueles que têm gosto pela pintura e que gostam de ver coisas novas, têm aqui uma hipótese de ver coisas variadas, diferentes e bonitas”, aconselhou Dina Lucas. No final da inauguração, Manuel Araújo ofereceu a Assis Serra Neves, vereador da cultura, um quadro desenhado pelo próprio, alusivo à Casa da Cultura da Trofa.

{fcomment}