Rancho Folclórico da Trofa organizou mais uma edição de noite de fados, na sua sede, a 2 de maio.

A Viela do Rancho da Trofa estava decorada a rigor para receber mais uma noite de fados. A meia-luz e com xailes a decorar a parede, a sede do Folclórico da Trofa foi pequena para acolher as pessoas que quiseram assistir ao espetáculo das fadistas Linda Carvalho, Ercília Araújo, Joaquim Carneiro, Adriana Ascensão, Manuel Delindro e Mário Costa, acompanhados de Rogério Rocha, na viola, e Nelito Marques, na guitarra.

A iniciativa é da responsabilidade do Rancho Folclórico da Trofa, que tinha como “base a angariação de fundos”, para fazer o “restauro e conservação da parte do museu” da sede. “Estamos empenhados nas obras. Temos infiltrações de água e temos que fazer umas marquises. Estamos à espera que o projeto saia da Câmara”, explicou Fernando Jesus, presidente do Rancho Folclórico da Trofa.

A fadista Adriana Ascensão ficou “espantada com as condições” que a organização tem, salientando que “a sala é muito bonita” e tem “um espaço, grande mas ao mesmo tempo aconchegante”. “Fiquei impressionada com a decoração, que foi de um extremo bom gosto. Acho que as pessoas se empenharam afincadamente para que a noite corresse bem e a comida também estava. Foi uma noite memorável”, reconheceu.

O presidente do Rancho acrescentou que a noite de fados, acompanhada de jantar, decorreu com “muita alegria e casa cheia”, tendo “superado a expectativa”. “Já tínhamos feito mais, mas não sabíamos se ia correr tão bem como no ano passado. No entanto, nestes últimos oito dias começaram a chover telefonemas e até tivemos que rejeitar alguns pedidos”, afirmou, contando que participaram “centena e meia de pessoas, fora o staff e pessoal da casa”.

A “logística” do espetáculo esteve a cargo de Linda Carvalho e Ercília Araújo, que fazem parte do Rancho, e, como “andam no fado, conhecem vários artistas”. “Esta organização deve-se a elas”, agradecendo “a todos por esta ajuda”.