quant
Fique ligado

Edição 686

Capela de Santa Luzia (ou Capela de Nossa Senhora da Graça?)

Publicado

em

Apesar de ser, neste momento, o lugar de culto mais pequeno, em tamanho, da paróquia de Santiago de Bougado, dos dados históricos de que há referência resultam que, esta ermida, situada no lugar da Trofa Velha-junto à estrada Nacional 14-data do ano 1678, é muito provável que tivesse sido edificada em data bastante anterior, o que nos leva a acreditar que seja o centro de culto mais antigo desta paróquia (com quase quatro séculos de história).


Esta capela , de traça arquitectónica seiscentista, tem uma só nave retangular,com frontaria onde se abre uma porta e uma janela, figurando no topo , no vértice triangular do telhado um nicho encimado por cruz de ferro, onde se encontra um pequeno sino. No seu interior há um coro alto, púlpito do lado da Epístola e retábulo-mor de talha dourada barroca, com três imagens, a saber: Ao centro, está a imagem antiquíssima de Nª Sª da Graça; do lado da Epístola a de Santa Luzia e do lado oposto a imagem do Beato Gonçalo de Amarante.

Referem alguns cronistas que era nesta pequenina ermida que até ao ano de 1920 se realizavam as festas do Divino Espírito Santo e a coroação das crianças desta paróquia (Santiago de Bougado) e de toda a região circunvizinha, o que fazia desta capela um grande centro religioso à época, pois, na oitava do Espirito Santo (Pentecostes) “…havia festa dedicada a Santa Luzia, antecipando-se assim as homenagens deste povo à sua protectora, dado que a Igreja Católica reserva a data de 13 de Dezembro para homenagear esta virgem italiana”. Convém aqui referir que, segundo alguns devotos desta santa-mártir, as festas em honra do Espírito Santo e Santa Luzia tiveram durante muitos anos programa aliciante, com noitada, bandas de música e uma linda e majestosa procissão.

Alguns dados biográficos de Santa Luzia (ou Santa Lúcia):
Santa Lúcia de Siracusa, mais conhecida como Santa Luzia (ou Santa de Luz), nasceu em Siracusa-Itália no ano de 280; conta-se que Luzia pertencia a uma família rica italiana e que era uma das jovens mais belas da cidade: os seus olhos eram tão lindos que encantavam a todos.. Seus pais deram-lhe uma óptima formação cristã ao ponto de Luzia ter feito voto de virgindade perpétua. Com a morte do pai, Luzia soube que sua mãe queria vê-la casada com um jovem de distinta família, porém este jovem era pagão. Tendo ido com sua mãe em peregrinação a Santa Águeda e sabendo que sua mãe havia sido curada de sua doença de hemorragias permanentes, decidiu vender tudo o que tinha e deu aos pobres, dedicando-se totalmente a Deus; o jovem que queria casar com a bela Luzia denunciou-a ao governador de Siracusa, o qual ficou furioso e mandou-a decapitar em Dezembro de 304 enquanto Luzia dizia:” Adoro a um só Deus verdadeiro a quem prometi amor e fidelidade”. O seu corpo foi sepultado nas catacumbas de Roma. Somente em 1894 o martírio de Luzia foi reconhecido e confirmado. Mas a devoção a esta jovem mártir vem desde o século V. É advogada dos oftalmologistas e de todos os que têm problemas de visão.

António Costa

Continuar a ler...
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Edição 686

O mundo dos brinquedos no Carnaval da Trofa

Publicado

em

Por

“Brinquedos” é o tema deste ano do corso carnavalesco da Trofa. Ao contrário do que tem sido habitual, o desfile não se realizará no domingo, mas sim no próprio dia de Carnaval, a 5 de março, evitando assim que a iniciativa coincida com a Feira Anual da Trofa.

Este corso, caracterizado pela participação das escolas de todo o concelho, promete animar a zona da estação de comboios, a partir das 14.30 horas. Por estes dias, já se preparam os disfarces, os carros alegóricos e os ensaios da coreografia que será apresentada ao júri.

A população em geral também é convidada a participar, vestindo-se a rigor para entrar na festa e na brincadeira e habilitando-se a receber prémios pelo melhor disfarce.

Uma das novidades deste ano é a participação da recente Escola de Samba da Trofa.

Reveja os momentos do desfile de 2018



Continuar a ler...

Edição 686

Grupo de Teatro de S. Mamede estreia nova peça

Publicado

em

Por

“Pérolas Ignoradas” é a tragicomédia que vai estar em cena a 23 de fevereiro, no salão paroquial de S. Mamede do Coronado. A peça de teatro, promovida pelo Grupo de Teatro Jovens Unidos e encenada por Fernando Duarte, segue-se a “Uma Série de Trapalhadas”, que lotou o renovado auditório, em fevereiro de 2018.


A encenação é, como a anterior, do universo da dramaturgia de Joaquim Sousa Ferreira e Silva, antigo pároco de S. Mamede do Coronado.

A entrada tem o custo de quatro euros e as cortinas abrem-se às 21.30 horas.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também