Na Trofa as obras da variante ferroviária à linha do Minho estão a avançar dentro dos custos e prazos previstos. Esta garantia dada pelos responsáveis da obra foi a principal conclusão tirada pelos candidatos socialistas a deputados pelo círculo eleitoral do Porto, numa visita às obras da construção da variante.

Ana Paula Vitorino, candidata socialista a deputada e actual Secretária de Estado dos Transportes, destacou a importância desta obra do Governo do PS na visita dos candidatos socialistas a deputados à Trofa, na passada quinta-feira. “Estamos a eliminar aquilo que é uma questão urbanística de fundo, estamos a eliminar o atravessamento e a divisão ao meio da Trofa, é também uma questão ferroviária que é eliminar um estrangulamento que existia e existe ainda na rede ferroviária nacional, permitindo numa primeira fase a linha Porto/Vigo funcionar já com tempos de percurso de no máximo uma hora, e uma terceira questão é a possibilidade de criação de uma interface de transportes”, sublinhou.

A nova interface inclui a construção da nova Estação da Trofa, que terá uma área comercial, parque com capacidade para 170 viaturas e um interface com o Metro do Porto e as carreiras de transportes públicos de passageiros.

Ana Paula Vitorino não deixou de lembrar o papel da deputada trofense Joana Lima na “defesa daquilo que são os interesses dos trofenses, do concelho e de toda a região”. “Ela faz o trabalho que deve fazer para que possa chamar a atenção de quem tem a responsabilidade de preparar, seleccionar e hierarquizar as obras”, acrescentou.

deputados-variante-ps

Satisfeita com a visita dos candidatos socialistas à Trofa, Joana Lima fez questão de lembrar as obras no concelho impulsionadas pelo governo do PS. “Não foi só a variante ferroviária da linha do Minho, é o metro que está em via dupla, está lançado o concurso e vindo até aqui quando estava previsto ficar nas Pateiras e fomos ainda contemplados com seis programas PARES no concelho, porque este governo olhou para a Trofa com olhos de que a Trofa precisava de ter um avanço”, lembrou a deputada.

Também Carlos Portela, candidato trofense a deputado pelo PS, realçou a importância da variante ferroviária para o concelho e para o país. “Não se trata de uma obra local, mas de dimensão nacional feita na Trofa por acção de um governo que ultimamente tem olhado e tem feito boa relação com a autarquia e tem olhado para a Trofa de uma forma adulta e como jovem concelho que precisa de muitas infra-estruturas para se requalificar especialmente no seu centro urbano”, referiu.

Avaliada em cerca de 65 milhões de euros, a obra da variante ferroviária à linha do Minho deverá estar concluída em Maio de 2010.