João Gomes Cardoso é candidato independente às presidenciais da Guiné Bissau e esteve na Trofa, num jantar com empresários e amigos para estabelecer relações empresariais.

Procurar em Portugal uma cooperação possível para ajudar a Guiné Bissau e estabelecer relações de carácter social e empresarial são alguns dos objectivos de João Gomes Cardoso, candidato independente à Presidência da República da Guiné Bissau. Entre 10 e 14 de Junho, o político guineense esteve de visita a Portugal e na Trofa a campanha incluiu um jantar com amigos, empresários e apoiantes, no Restaurante Braguinhas, na passada sexta-feira.

De acordo com João Gomes Cardoso, a visita a Portugal insere-se no quadro da campanha de candidatura às presidenciais da Guiné Bissau. “Porquê Portugal? Pelos laços que nos unem, pela fraternidade e também para discutir com os meus amigos, colegas e camaradas para que juntos possamos reflectir e ver que cooperação é possível para ajudar a Guiné Bissau a ultrapassar este momento tão conturbado da sua história”, explicou, em declarações ao NT/TrofaTv.

Aos olhos de João Gomes Cardoso, a Trofa já não é o que era, mas as amizades que construiu no concelho mantêm-se vivas. “Houve uma evolução nítida e significativa, já não reconheço a Trofa que eu conheci, mas a amizade com as pessoas mantém-se intacta, e com essa aventura histórica onde estou inserido aumentou um bocado mais, sobretudo porque pode capitalizar essa amizade, em termos de relacionamento não só empresarial, como em todos os domínios da vida”, considerou.

Antigo chefe do gabinete de Nino Vieira, ex-Presidente da República de Guiné Bissau assassinado em Março deste ano, João Gomes Cardoso diz sentir um dever moral de assumir a liderança dos destinos do povo guineense. “Fui dirigente naquele país desde 1987, não podia de maneira nenhuma deixar de fazer frente a esse fenómeno, porque não é só manter-se quando se está no poder, quando as coisas correm bem. É necessário realmente ter-se espírito de sacrifício, sobretudo a vontade de servir o seu país e o seu povo, particularmente em momentos críticos como este”, defendeu.

A visita de João Gomes Cardoso foi recebida com satisfação por Manuel Pontes, presidente da Associação Empresarial do Baixo Ave, que reconheceu a importância e as vantagens de estabelecer relações empresariais com o candidato guineense. “Este homem tem prestígio naquela zona africana, sobretudo num país que nos interessa muito que é o Senegal. Sei que ele é um homem privilegiado, havia hipóteses a curto prazo deste relacionamento, desta cortesia que lhe vamos fazer, servir-nos dele, do prestígio dele e da influência que ele tem para fazermos uma missão empresarial num país em que ainda ninguém pensou nele, mas sabemos que o futuro hoje está em África, nos países ainda não tão desenvolvidos”, afirmou ao NT/TrofaTv.

Entre outras funções exercidas, João Gomes Cardoso já foi ministro, Secretário de Estado dos Recursos Naturais e director do Gabinete do ex-presidente da República da Guiné Bissau, Nino Vieira.