Depois de um interregno, os campeonatos concelhios vão arrancar.

Empenhado em impedir que a Associação de Futebol Popular da Trofa (AFPT) desaparecesse, um grupo de pessoas ligadas a associações decidiu colocar “mãos à obra” e convidar Vasco Torres para liderar a coletividade.

Há muitos anos ligado aos campeonatos concelhios, também como jogador, Vasco Torres tomou posse como presidente da AFPT apostado em tornar realidade o futebol amador. Depois de reunir com a vereadora do Desporto e Juventude, Teresa Fernandes, e recolher o apoio da autarquia, a direção da coletividade trabalha agora para definir os moldes dos campeonatos. Por entre muitos pontos para resolver, uma coisa é certa: o orçamento será muito mais reduzido do que os anteriores. “Teremos 25 mil euros para a época toda. Estamos ainda a negociar com a Câmara para saber se pode ficar responsável pelo seguro desportivo e, se assim for, o orçamento sofrerá um corte para fazer face a essas despesas”, contou o presidente da AFPT.

Vasco Torres já contava com o valor do orçamento, uma vez que “o tempo é de crise” e defende que as associações têm de adotar uma postura diferente: “As coletividades viveram penduradas no subsídio da Câmara, mas agora temos de partir para novas etapas e aprender a sermos verdadeiras associações”. Vasco Torres não se quis alongar nos comentários quanto ao facto de a nova direção ter de gerir os campeonatos concelhios com um orçamento que representa 60 por cento do da época anterior. “Todas as direções fizeram o seu melhor e o que temos de fazer é trabalhar com o orçamento que temos. O esforço é de todos”, frisou.

A nova direção da AFPT está ainda a estudar a viabilidade de alargar os campeonatos concelhios às escolas básicas do 1º ciclo. As inscrições para participar nos campeonatos estão abertas até meados de dezembro. 

O NT contactou a Câmara Municipal que, através da vereadora do Desporto e Juventude, explicou que a autarquia vai ter uma reunião com a direção da AFPT esta quinta-feira, 24 de novembro, para se delinear o apoio a dar para a realização dos campeonatos concelhios.

Vasco Torres sucede a Artur Costa na direção da AFPT, que não apresentou recandidatura depois de o futebol popular sofrer alguns percalços durante a época anterior, por falta de verbas para garantir seguro desportivo.

Depois de um interregno, a Câmara Municipal chegou a acordo com a AFPT para a realização de um “Campeonato de Primavera” com menor número de jogos.

{fcomment}