A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai investir cerca de um milhão de euros nas obras de recuperação do velho Teatro Narciso Ferreira, imóvel que foi construído na primeira metade do século XX por um dos pioneiros da indústria têxtil no Vale do Ave. "O projecto deverá ficar pronto até ao fim deste ano, de modo a que as obras avancem o mais rapidamente possível", anunciou o presidente da Câmara Municipal, Armindo Costa, esta segunda-feira, durante a cerimónia de assinatura da escritura de atribuição do direito de superfície do teatro a favor do município.

"Com esta obra, estamos a criar uma nova centralidade cultural no concelho de Vila Nova de Famalicão", salientou o autarca, referindo que "uma das preocupações do município tem sido a de descentralizar o acesso a eventos culturais, aproveitando as sinergias existentes". O novo pólo cultural, cuja programação ficará a cargo do pelouro da Cultura do Município, irá complementar o trabalho que tem sido realizado pela  Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão. Dispondo de uma sala que no projecto de reabilitação deverá prever uma capacidade para 250 lugares, o Teatro de Riba de Ave fica situado na confluência dos concelhos de Vila Nova de Famalicão, Santo Tirso e Guimarães.

 "Com a reabilitação do Teatro Narciso Ferreira vamos beneficiar a população da vila de Riba de Ave e de freguesias vizinhas desta zona nascente do concelho, criando uma nova centralidade cultural capaz também de atrair público dos concelhos vizinhos", lembrou Armindo Costa, adiantando que "este novo investimento na cultura representa uma aposta na recuperação do património arquitectónico de Vila Nova de Famalicão e a concretização de uma política de descentralização cultural inédita no município".

Na cerimónia, que contou também com a presença do presidente da Fundação Narciso Ferreira, Raul Ferreira, e do presidente da Junta de Freguesia, Armando Carvalho, entre várias dezenas de pessoas, Armindo Costa disse ainda que "a recuperação do Teatro Narciso Ferreira, que está encerrado há vários anos, deverá custar cerca de um milhão de euros".

Com a assinatura da escritura, a Fundação Narciso Ferreira, proprietária do Teatro Narciso Ferreira, cedeu gratuitamente, por um período de 30 anos, o direito de superfície do imóvel ao município de Vila Nova de Famalicão, para aí instalar um pólo cultural destinado à promoção de eventos públicos. O município fica obrigado a restaurar o edifício, bem como a realizar as necessárias obras de remodelação e adaptação do espaço à instalação de um pólo cultural, suportando os custos. A escritura prevê ainda que a programação anual do espaço seja acordada e definida por ambas as partes, complementando o papel da Casa das Artes, sendo para isso constituída uma equipa técnica composta por membros das duas instituições.

Raul Ferreira, presidente da Fundação Narciso Ferreira, mostrou-se "especialmente satisfeito por se iniciar agora uma nova fase num processo que há tantos anos esperava", mas disse sentir-se também "ansioso por ver concluída esta obra tão ambiciosa".

O descendente de Narciso Ferreira – pioneiro da indústria têxtil no Vale do Ave – agradeceu o "empenho do presidente da Câmara neste projecto e a confiança depositada nele". Raul Ferreira salientou ainda que "o facto do teatro servir de complemento à Casa das Artes, equipamento de sucesso nacional e mesmo internacional, vai trazer para o concelho uma expansão cultural enorme".

De acordo com a escritura assinada com o Município, a Fundação Narciso Ferreira fica ainda obrigada, num prazo de três anos, a executar obras de remodelação do Mercado Narciso Ferreira, situado em frente ao teatro, suportando os custos inerentes e ficando a gestão da feira semanal entregue à Junta de Freguesia de Riba de Ave. "É intenção da Fundação modernizar o edifício do Mercado Narciso Ferreira, de modo a funcionar todos os dias, servindo devidamente a população", explicou Raul Ferreira.

"Depois de recuperado o Teatro e o Mercado Narciso Ferreira, o centro de Riba de Ave ganhará uma imagem moderna, com uma maior qualidade de vida para todos", referiu ainda Armindo Costa, acrescentando que "a vila de Riba de Ave está no topo daquilo que queremos para o concelho de Famalicão".

Recorde-se que o Teatro Narciso Ferreira foi construído nos anos 40, tendo sido uma das muitas obras que a família do primeiro empresário têxtil do Vale do Ave edificou. Em actividade até ao final do século XX, o espaço cultural foi encerrado por não oferecer condições de segurança para a realização de espectáculos.