bpugadense_net.jpg

 

 

 

 

 

A quinta jornada da Divisão de Honra da Associação de Futebol do Porto para o Atlético Clube Bougadense ficou marcada pela perda de mais pontos em casa. A equipa de Santiago de Bougado não conseguiu somar uma vitória frente à formação do Sousense, este que, tudo fez para conseguir pelo menos levar um ponto para casa.

5ª Jornada da Divisão de Honra da AFPorto

 

Jogo: Parque de Jogos da Ribeira

A.C.Bougadense: Coelho, Virgílio, Enrique (Vitinha), Alexis, Armando, Ramalho (Tó), Matos, Roberto, Tonanha, Sérgio Borges (Sérgio Borges) e Henrique I

Treinador: José Maria

Sousense: Pedro, Machado, Tiago, Costinha, Nelson (Feliciano), Ricardo Neves, Tozé (Tata), Litos, Ricardo (Ruben), Zé Augusto e Timótio

Treinador: Paulo Neves

Árbitro: David Matos auxiliado por José Vasconcelos, Filipe Lima e Rui Araújo

Cartões Amarelos: Ramalho, Henrique I e Armando do Bougadense, Zé Augusto do Sousense

Marcadores: Tonanha (73’) e Zé Augusto (79’)

Resultado Final: 1-1

 

 

Os primeiros minutos de jogo denunciavam algumas dificuldades para Bougadense criar perigo, já que o Sousense começou a jogar ao ataque e, o primeiro lance de ataque protagonizado pela equipa da casa foi na sequência de um contra ataque.

O Sousense ameaçava muito e, aos 14 minutos da partida num lance que começou a partir de um lançamento de linha lateral consegue criar perigo, mas Enrique conseguiu desviar pela linha de fundo.

Com a formação bougadense recuada no seu meio campo, o Sousense não aproveitava as oportunidades que tinha para marcar, como aconteceu à passagem do minuto 18, em que Ricardo Neves, num livre frontal apenas conseguiu que a bola passasse por cima da baliza do guardião Coelho.

A partir dos 23 minutos o Bougadense começou a assumir o comando do jogo com lances vistosos e perigosos para a baliza do Sousense. O primeiro aviso foi dado por Roberto com um remate forte, mas sem acertar na baliza. Passados 2 minutos Armando, camisola 9 do Bougadense, isolado preparava-se para fazer um chapéu ao guarda-redes adversário, mas este, adivinhando a sua intenção conseguiu defender. Logo depois Armando teve nova oportunidade para causar perigo, mas invés de libertar o seu companheiro de equipa, Tonanha, que se encontrava em melhor posição, tomou iniciativa própria e rematou para fora das quatro linhas de jogo.

Aos 28 minutos Roberto tirando partido do seu portentoso remate, tentou mais uma vez a sua sorte, mas o guardião Pedro defendeu sem dificuldade.

Aproveitando a ineficácia do adversário, aos 31 minutos, o Sousense beneficiando de um pontapé livre frontal criou muito perigo, com o esférico a passar por cima da baliza. A primeira parte do encontro terminou como começou, ou seja, com a equipa visitante a atacar, desta vez por intermédio de Ricardo, que numa arrancada deixou alguns adversários para trás, mas Coelho defendeu, evitando assim, qualquer perigo para a sua baliza.

O Atlético Clube Bougadense iniciou a segunda parte a defender e, logo ao primeiro minuto Matos evitou o golo para o Sousense.

Os minutos iam passando e o Bougadense pressionando cada vez mais conseguiu inaugurar o marcador, por intermédio de Tonanha, na sequência de um cruzamento feito por Tó, à passagem do minuto 73.

A ansiedade pode ter sido responsável pelo “balde de água fria” de que a equipa da casa foi vítima passando 5 minutos do golo inaugural, em que o Sousense conseguiu repor a igualdade, na cobrança de um pontapé de canto.

A partir do golo da equipa visitante a procura pela vitória foi mais difícil para o Bougadense que tudo fazia para voltar a marcar, mas sem ter eficácia.

Passados 87 minutos de jogo Toni Barros tentou marcar, mas o seu remate saiu fraco e de Pedro, guarda-redes adversário, conseguiu encaixar sem dificuldade.

O jogo terminou com um empate a um golo e, com a formação de José Maria a perder mais dois pontos importantes para a subida de divisão.

O treinador da equipa bougadense manifestou-se algo descontente com o desempenho dos seus jogadores na primeira parte, já que “entraram de peito aberto”, talvez pelo facto de “pensarem que somos fortes candidatos ao título”, referiu José Maria e acrescentou que na primeira metade do encontro a “a equipa não se encontrou e deparou-se com grandes dificuldades para sair do seu meio campo” e criar perigo.

A segunda parte para o treinador foi muito melhor, já que “com a entrada de Vitinha e de Tó a equipa jogou mais perto da baliza, criámos mais oportunidades de golo”, mas marcando apenas uma vez. José Maria acrescentou ainda que a equipa não foi “suficientemente forte para contrariar o adversário”.

Quanto à actuação da arbitragem o treinador do Bougadense mostrou-se um pouco descontente, pois afirmou a existência de dualidade de critérios e ainda, que o árbitro “só mostrou cartões para uma equipa”. No entanto frisou que não foi só a arbitragem que condicionou o “insucesso do Bougadense nesta partida”.

Por seu lado Paulo Neves, treinador do Sousense, afirmou que a sua equipa esteve bem, “melhor na primeira parte, em que tivemos várias oportunidades de golo” e que, na segunda parte não conseguiu manter o seu desempenho “por culpa do Bougadense, que é uma grande equipa e um sério candidato ao título”, rematou.

A equipa de Santiago de Bougado conta já com dez pontos arrecadados e mantêm-se na segunda posição da tabela classificativa da Divisão de Honra da Associação de Futebol do Porto.