Os Bombeiros Voluntários da Trofa perderam algum do equipamento que dispunham, durante o combate aos incêndios. Prejuízo é superior a três mil euros.

O número de incêndios e a intensidade das chamas foram de tal ordem ao longo dos últimos dias no concelho, que foi necessária a presença de corporações de toda a região Norte, que auxiliaram os Bombeiros da Trofa.

O caso mais notório aconteceu na tarde de sábado. Com o reacendimento do incêndio entre Santiago de Bougado e S. Romão do Coronado, passando, ainda, por Covelas todos os meios dos Bombeiros Voluntários da Trofa foram canalizados para este combate. Perante esta situação, e com o reacender das chamas em Alvarelhos, junto ao Castro, foram os Bombeiros Voluntários Tirsenses e de Vila das Aves que controlaram este reacendimento, uma vez que os Bombeiros da Trofa não tinham viaturas suficientes para travar os dois incêndios.

Contactada pelo NT, a direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa confirmou a existência de “algumas carências a nível de equipamentos, para fazer face a uma situação anómala como foi o caso do fim-de-semana, o que dificulta o bom trabalho dos bombeiros”.

Para além desta carência, a mesma fonte informou que, nos combates da última semana, a corporação trofense sofreu grandes prejuízos em termos materiais.

No decorrer do incêndio na fábrica de tintas Titan, na Maia, onde os Bombeiros da Trofa estiveram a auxiliar as corporações locais, ficou destruído material, com um prejuízo que “ascende aos três mil euros”. Ao todo, os soldados da paz trofenses perderam cinco equipamentos de protecção individual completos (calça, casaco e botas no valor de 500 euros cada), cinco pares de luvas para combate a incêndio industrial (25 euros cada) e, ainda, vários lances de mangueira (60 euros/unidade).

A este prejuízo acresce o facto de algumas das viaturas estarem também desgastadas, devido ao elevado número de incêndios do ano passado: “Na época de fogos do ano anterior, os carros de combate a incêndios ficaram muito desgastados devido à grande actividade nocturna que tiveram”.

Este fim-de-semana, algumas das viaturas apresentaram “problemas mecânicos resultantes da idade e do desgaste, fruto da grande actividade a que têm sido submetidas”.

No total, os Bombeiros Voluntários da Trofa dispõem de quatros veículos preparados para combate directo a fogos em zonas rurais, o que num concelho como a Trofa, em que grande parte do seu território é composto por matas e floresta, é muito pouco.