A candidatura do BE às autárquicas pode passar por uma coligação com os outros partidos de esquerda, anunciou o líder do partido no concelho, Gualter Costa, em entrevista ao NT e à TrofaTv.

O peso de 14 anos não é suficiente para que Gualter Costa contenha as lágrimas no momento de recordar a ida a Lisboa “buscar” o concelho. De voz embargada, este trofense que tomou as rédeas da estrutura concelhia do Bloco de Esquerda (BE) recorda a emoção que viveu quando desobedeceu ao patrão e faltou ao trabalho para integrar o grupo de milhares de pessoas que protagonizaram “a manifestação mais bonita e mais digna que a Assembleia da República assistiu em toda a sua história”.

“Costumo dizer aos meus amigos, quando criticam o concelho e não conhecem o que foi a sua criação, para imaginar que Portugal era campeão do Mundo de futebol, multiplicar isso por cinco e ainda assim ficariam a dez por cento da alegria que os trofenses sentiram quando foi criado o concelho da Trofa”, descreve, enquanto desce a avenida que separa o Parque Nossa Senhora das Dores e a rotunda do Catulo. Catorze anos passados, o bloquista ainda acredita que “valeu a pena” a Trofa ser concelho, mas lamenta que ainda não haja “condições” para “os sonhos e expectativas dos trofenses que queriam um concelho mais virado para as pessoas”.

O Parque Nossa Senhora das Dores e a Rua Conde S. Bento, cenários desta entrevista, foram escolhidos por Gualter Costa para “exemplificar o que tem acontecido ao concelho”, que se encontra “um pouco abandonado”.

Leia a reportagem completa na edição desta semana d’ O Notícias da Trofa, disponível num  quiosque perto de si ou por PDF.

{fcomment}