psd_net.jpg

 

 

 

 

 

O PSD perdeu duas juntas de freguesia nas eleições autárquicas de 2005, uma para o PS outra para o CDS, perdeu um vereador na Câmara Municipal e cerca de 16 por cento dos votos, em relação a 2001 e perdeu ainda cerca de 212 por cento de votação na Assembleia municipal conseguindo apenas 10 mandatos contra os 8 dos socialitas, dois do CDS e um do PCP-PEV.

 

 

 

Bernardino Vasconcelos tem uma certeza “este resultado não foi um cartão amarelo da população da Trofa a este executivo”.

 

O PSD apesar de vencer em cinco juntas de freguesia, na Assembleia Municipal e na Câmara Municipal viu a sua votação descer cerca de 16 por cento. Bernardino Vasconcelos não conseguiu melhor que 48,62 por cento dos votos, perdendo assim um vereador que acabou por ser ganho pelo Partido Socialista, que passa assim a ter três vereadores. Vasconcelos viu assim ficar de fora do executivo Sérgio Humberto, presidente da JSD/Trofa, tendo apenas conseguido reeleger António Pontes, Jaime Moreira e Hélder Santos.

Varias são as leituras que podem ser feitas dos resultados das autárquicas mas o que é certo que se perderam 891 votos entre bancos e nulos mas Bernardino Vasconcelos tem uma certeza “este resultado não foi um cartão amarelo da população da Trofa a este executivo”.

Vasconcelos considera que “apesar de termos perdido a freguesia do Muro por cerca de 60 votos vamos continuar a trabalhar, como é a nossa obrigação com toda a dedicação…Vamos arregaçar as mangas para dar corpo àquilo que são os legítimos interesses do concelho. Vamos dar corpo àquilo que são os nossos projectos, vamos trabalhar pela Trofa”.

O presidente reeleito não considera o resultado alcançado pelo PSD como um derrota mas sim “ resultado de uma estratégia que seguimos e quero dizer que a repetíamos novamente se tivéssemos de voltar atrás.Tratar de fazer obra pelas freguesias para além da cidade para dar um sinal claro de coesão de um concelho novo. Foi assim implementado. Era fundamental que as freguesias que constituem o concelho da Trofa e que não são cidade não se pudessem queixar, da mesma forma como nos queixávamos quando pertencíamos a Santo Tirso”acrescentando “não considero um cartão amarelo. Ganhamos para a Câmara, Assembleia Municipal, ganhamos e bem 5 freguesias e nelas Santiago, em que não tínhamos maioria absoluta e perdemos S. Martinho por cerca de 200 votos, mas também não há maioria da oposição nessa freguesia e perdemos o Muro por cerca de 60 votos, em que aí também não há maioria do vencedor. São quatro elementos do PSD, quatro elementos CDS e um do PS. Em S. Martinho são seis elementos do PSD, seis do PS e um do CDS. Perdemos um vereador, neste caso o quinto vereador o senhor Sérgio Humberto e de grande capacidade e que ia prestar ao sector do desporto e da juventude um grande trabalho, dada a sua experiência e o seu empenho nesta matéria”.

Questionado sobre se está a pensar atribuir pelouros aos vereadores socialista, Vasconcelos respondeu “ainda não pensei nisso. Eu tenho por ideia que quem ganha por maioria absoluta é que deve governar. Este é o princípio. De qualquer forma não pensei na matéria, mas o princípio inicial que eu evoquei será substrato da minha tomada de posição”.

Já fora da sede de campanha as bandeiras laranja e os vivas a Bernardino Vasconcelos ao PSD ecoavam e ouviam-se as buzinas tocar incessantemente.

O candidato acabou por festejar a vitoria subindo ao camião da JSD que percorreu as principais ruas da cidade com Vasconcelos e os seus vereadores a agitar bandeiras.