Depois de um interregno de oito anos, a Banda de Música da Trofa voltou a abrilhantar as festas em honra de S. Gonçalo, na vizinha freguesia de Covelas, Trofa. Por volta das 8.30 horas de domingo, dia 22 de janeiro, a nossa querida banda fez a sua primeira atuação em público, neste ano de 2012. Deu várias voltas à Igreja Matriz entoando várias marchas do seu repertório, como seja, a marcha em homenagem a J. Serra.

Depois do almoço e até cerca das 18.30 horas, a Banda de Música da Trofa atuou pela primeira vez, desde novembro de 2011, e sem ensaios. O que é de louvar é a qualidade dos seus executantes, dada a categoria dos mesmos, e graças à direção, liderada pelo Sr. Luís Lima, que imprimiu na banda outra filosofia da vida.

Apesar de eu ser uma pessoa suspeita quanto à apreciação da mesma, dado que também sou dirigente dessa instituição, mas dito por apreciadores que gostam de boa música, os quais nos têm confidenciado que, neste momento, como outrora, no tempo do Sr. Gomes, a Banda de Música da Trofa é uma das melhores filarmónicas do país, senão a melhor.

Bastante público como não há memória, nestes tempos mais chegados. O público foi incansável em aplaudir a nossa banda. Um cardápio musical deveras interessante. As obras apresentadas pelo maestro Luís Campos e a execução por todos os músicos, não posso, de maneira alguma, deixar de endereçar aos mesmos, o meu contentamento por tão brilhante concerto.

O repertório apresentado foi o seguinte: “Hispânico”, “Inferno”, “Pela Lei e pela Grei”, “Ares de Espanha”, “Cassiopeia”, “Suíte Alentejana”, “Mamma Mia”, “Cantares de Sempre” e o “Hino da Banda”. 

Deram as despedidas, em volta da capela, onde finalizou com várias marchas. Eram cerca das 20 horas desse maravilhoso dia 22 de janeiro de 2012. Mais uma vez, quero agradecer ao público presente, o qual é a razão da nossa existência como banda.

Para todos um grande abraço.

Valdemar Silva

 {fcomment}