A automedicação é um problema severo em Portugal, havendo uma procura intensa de vários tipos de medicamento sem prescrição médica. Conheça o problema e algumas alternativas.

Em Portugal, muitos medicamentos encontram-se ainda disponíveis em venda livre nas farmácias e parafarmácias. Perante este facto, muitos portugueses promovem um autodiagnóstico quando sentem dores ou desconforto, procurando os medicamentos que julgam necessários para o tratamento dos seus problemas.
Derivado de crenças populares, da experiência de familiares ou amigos ou da sua experiência prévia, esta situação motiva a ingestão de substâncias de origem natural e química que, sem a devida prescrição, podem ser desadequados ou mesmo nocivos para quem os ingere.
A comunidade médica está ciente da tendência para os portugueses se automedicarem mas considera a prática perigosa, desaconselhando-a fortemente.

Venha compreender melhor o problema da automedicação em Portugal e conhecer algumas alternativas viáveis, que podem prevenir alguns dos problemas que motivam esta procura autónoma por medicação.

Saúde pública e automedicação em Portugal

Várias entidades clínicas têm-se manifestado quanto à questão da automedicação dos portugueses, considerando que esta reflete um problema de saúde pública no país.
Dores, ansiedade, mal-estar e outros problemas são responsáveis pela procura do mais diverso tipo de medicamentos, incluindo analgésicos, anti-inflamatórios, ansiolíticos, antidepressivos, comprimidos para dormir e estimulantes.
Segundo os médicos, o perigo da toma de medicação sem recomendação médica prende-se com os efeitos colaterais mas também com a dosagem e a toma incorreta, já que não existe uma orientação clínica que permita uma postura adequada às necessidades nem um diagnóstico efetivo. Além disso, como muitos referem, alguns medicamentos são eficazes na resolução dos sintomas, mascarando problemas mais severos de saúde e atrasando diagnósticos importantes que, em algumas situações, poderiam salvar vidas.
Segundo os especialistas, quando existe algum tipo de desconforto, o primeiro passo e o mais importante é procurar ajuda especializada.

Formas saudáveis de prevenir doenças

Independentemente de o seu problema se relacionar com dores crónicas, problemas de ansiedade ou stress, desconforto físico ou problemas com o sono, existem algumas formas de evitar ou reduzir a incidência do problema sem que tenha de ingerir fármacos autoprescritos.
Alguns suplementos alimentares naturais podem ser eficazes na resolução destes problemas e até um extrato natural como o CBD pode ser uma alternativa saudável no alívio do seu desconforto.
Além disso, manter uma rotina equilibrada, onde considere uma alimentação mais saudável e um plano de treino adaptado a si pode também contribuir para prevenir este tipo de situação e até para resolver os problemas, quando já sente os seus sintomas.
A adoção de um estilo de vida mais saudável, com ingestão de produtos naturais e biológicos, nos quais recuse o sedentarismo e os hábitos nocivos aos quais o século XXI tanto impele, poderá evitar que tenha de tomar medicação e melhorar, em global, o seu quotidiano.
Se, em todo o caso, sentir que precisa de medicação, a forma mais correta de agir será consultar um especialista da área da saúde, para que saiba qual o fármaco indicado para a sua situação e receba as instruções corretas para a sua toma.