Visita insere-se no âmbito do Projecto “Trofa – Concelho para Investir”

Depois da visita à empresa trofense MIDA, no âmbito do Projecto Trofa – Concelho para Investir, o presidente da autarquia esteve na passada segunda-feira na Falual, uma empresa na área da metalomecânica, situada em Santiago de Bougado. No encontro Bernardino Vasconcelos reuniu com a Administração da empresa, onde ficou a conhecer a realidade da empresa, dando a conhecer as respostas sociais da autarquia para fazer face às necessidades da mesma.

 

“Programamos um conjunto de visitas a todas as empresas do concelho e iremos com certeza visitar a maior parte delas. A Falual é uma empresa da área da metalomecânica e a visita tem duas vertentes: primeiro apercebermo-nos de como está o negócio nesta área e sentir também as preocupações do empresário desta empresa e depois simultaneamente trazer ao conhecimento um conjunto de respostas sociais que temos para os nossos munícipes numa situação de carência”, explicou ao NT/Trofa Tv o presidente da autarquia, na sua visita à Falual.

Os apoios da autarquia são uma ajuda para as pequenas e médias empresas, no entanto Bernardino Vasconcelos lembrou a importância da actuação do Governo: “ao longo destes anos temos desenvolvido um trabalho interessante, não nos substituímos de modo nenhum ao Governo, que terá que desenvolver um conjunto de medidas mais abrangentes, outras mais específicas para as pequenas e médias empresas , que são aquelas que produzem a maior riqueza do país e aquelas que empregam o maior número de trabalhadores do país”, afirmou.

Face à actual conjuntura de crise, a Câmara Municipal da Trofa, em conjunto com a AEBA – Associação Empresarial do Baixo Ave, criaram o Projecto “Trofa – Concelho para Investir”, que determina a realização de visitas às empresas trofenses, com o intuito de conhecer a realidade e dificuldades das mesmas e apresentar as respostas sociais ao tecido empresarial, disponibilizadas pela autarquia.

Satisfeito com a visita da autarquia à sua empresa, Tomé Carvalho, responsável da Falual espera contar sempre com os apoios da Câmara Municipal e com as ajudas do Projecto Concelho Investir. “Vou pedir ao presidente algum apoio, principalmente para baixar alguns impostos, porque isso era óptimo para mim. Estas visitas são importantes para que o presidente da Câmara sinta a realidade das empresas que estão na Trofa e que não as deixe sair da Trofa, que nos apoie e nos dê um pouco de carinho, porque a partir daí, alguma dificuldade que eu tenha, tenho a porta aberta para falar sobre os problemas na minha empresa”, afirmou.

Tomé Carvalho lembrou ainda que apesar do equilíbrio financeiro da empresa, todo o cuidado é pouco. “A Falual sentiu a crise na exportação, exportávamos muito para a França e para a Alemanha e os números baixaram um pouco. A nível nacional ainda conseguimos ter trabalho e conseguimos ter tudo mais ou menos equilibrado. É evidente que se continuarmos assim e trabalharmos muito para a siderurgia nacional, se não houver saída de ferro, não há trabalho, trabalhamos muito para a Cimpor, se não houver saída de cimento, também não há trabalho. A Falual ainda não sentiu a crise, mas se continuar assim vamos sentir”, lamentou.

A trabalhar há 29 anos na Trofa, a Falual começou pelas mãos de Tomé Carvalho, numa pequena garagem e com a vontade de investir por parte do seu fundador. Hoje emprega 80 funcionários num espaço de cerca de 6500 metros quadrados. “Tínhamos as instalações da Falual a 200 metros, e senti que era um espaço pequeno e como tinha muito trabalho, investi para dar mais condições aos meus funcionários e penso que vai tudo correr bem. A crise tem que passar e não podemos pensar sempre nela, por isso temos de evoluir”, rematou.