Cantares das janeiras encheram o Auditório da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado. Rancho Etnográfico foi o anfitrião.

As janeiras começaram a cantar-se a partir dos anos 50 do século XX. As pessoas mais pobres deslocavam-se às casas dos mais abastados para pedir alguma coisa para a noite de consoada. Era-lhes dado batatas, vinho e, em alguns casos, carne de porco. Depois de passadas as festas, os pobres vinham agradecer a essa gente rica. Com instrumentos ou à capela cantavam as janeiras.

Para simbolizar esta tradição o Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado reuniu, no domingo, na Junta de Freguesia, com o Rancho Folclórico de Monte Córdova, o Cantares e Dançares – Os Camponeses de Navais, da Póvoa de Varzim, e o Grupo Regional de Moreira da Maia, para cantar as janeiras.

“Santiago de Bougado recebe muito bem os cantares das janeiras”, esclareceu Fernando Monteiro, presidente do Rancho Etnográfico. Satisfeito por encontrar o auditório repleto de assistentes, o responsável garante que o grupo “não vai deixar acabar as tradições”.

 

António Azevedo faz balanço “positivo” das actividades de Natal

Depois de uma festa com as crianças, os cantares das janeiras, um espectáculo de comédia, uma homenagem às associações, um concerto do Orfeão Santhyago e os Cantares de Boas Festas, António Azevedo, presidente da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado, fez um balanço das actividades de Natal “claramente positivo”.

“Habituamos os bougadenses a estas actividades culturais”, frisou o presidente do executivo. “O auditório esteve sempre cheio”, acrescentou, e por isso, António Azevedo sente-se “motivado” para  “continuar a organizar” este tipo de iniciativas.