Nelson Silva conseguiu o 3º lugar no Campeonato Nacional de Supercross. Atleta da Trofa lamenta falta de apoios. 

Não tem sido fácil o percurso de Nelson Silva pelo mundo das motas. O atleta trofense deixou o estatuto de profissional da modalidade e passou a conciliála com outro emprego. A crise e a falta de apoios assim o exigiram.

No entanto, apesar de todos os obstáculos que surgem todos os dias, Nelson ainda consegue brilhar na mota e a 3 de setembro, em Torres Vedras, conquistou o 3º lugar do Campeonato Nacional de Supercross, somando 144 pontosno fim de seis provas. 

Esta posição é encarada como “uma vitória” para o atleta para preparar a pré-época. O atleta tem uma carreira de “altos e baixos”. Se por um lado recorda momentos áureos, cujo pico foi atingido quando participou no Campeonato Mundial, em Águeda, em 2006 e 2010, por outro também não esquece as lesões, uma das quais grave, em que fraturou a coluna. 

Tem vários títulos a nível regional, com “cinco ou seis vicecampeonatos em várias classes”, e “muitos terceiros lugares”. O lugar mais alto do pódio ainda lhe foge, mas, garante, “ainda não desisti de o tentar”.

Sem esquecer todos os patrocinadores que o apoiam, assim como os familiares, esposa, amigos e preparador físico, Gualter Dias, o atleta lamenta que “a nível nacional, a modalidade estar a ser esquecida”. “Infelizmente, não é só nas motos, mas temos grandes pilotos e atletas que têm imenso talento e ninguém ouve falar deles. Inclusive, temos um português a competir a tempo inteiro no mundial de motocross e ninguém fala dele. Muita gente ainda só vê futebol, o que é uma pena, porque esta é uma modalidade espetacular”, frisou.

{fcomment}