quant
Fique ligado

Trofa

Assinado o contrato para execução da variante à Trofa

Publicado

em

Foi assinado o contrato entre as Infraestruturas de Portugal e a empresa M. Couto Alves SA, para execução da empreitada EN14 – Maia (Nó do Jumbo) | Interface Rodoferroviário da Trofa – 2ª Fase – Via Diagonal | Interface Rodoferroviário da Trofa, com um investimento de 32 milhões de euros e com 666 dias de execução.

Trata-se de uma empreitada  no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), integrada no plano de melhoria das acessibilidades rodoviárias às Áreas Empresariais. A EN14 entre a Maia, a Via Diagonal, e o Interface Rodoferroviário da Trofa, configura a segunda das duas fases de construção do lanço da Variante à EN14, entre Maia e a Trofa.

A presente obra diz respeito a um troço com cerca de 10 km, entre a Maia (Via Diagonal) e a Trofa (Interface Rodoferroviário), que se apresentará com um perfil transversal tipo 1×1 vias, iniciando-se no Nó com a Via Diagonal, já construído, e terminando na Rotunda do Interface Rodoferroviário da Trofa.

As três ligações à rede local previstas são:

  • À EN318, nas proximidades das Zonas Industriais do Soeiro e da Carriça;
  • À atual EN14, na localidade de Lantemil;
  • À rotunda existente que irá permitir a ligação da Variante à EN14 ao Interface Rodoferroviário da Trofa e futura continuidade para Norte.

No que respeita a Obras de Arte correntes serão construídas duas Passagens Superiores, duas Passagens Agrícolas e cinco Obras de Arte especiais, com a construção de quatro viadutos e uma ponte: o Viaduto sobre a Ribeira do Arquinho, com 374 metros, o Viaduto de Vilares, com 264 metros, o Viaduto das Covas, com 180 metros, a Ponte sobre o Rio Trofa, com 750 metros e o Viaduto sobre o Vale de S. Roque, com 472 metros.

Serão também construídos sete restabelecimentos de vias municipais, preconizando-se, na maioria dos casos, a melhoria das suas características em termos de perfil transversal. Os Nós, e respetivas Rotundas associadas, serão dotados de iluminação.
 


Estrada Nacional 14


O empreendimento da EN14 ligará os concelhos de Vila Nova de Famalicão, Trofa e Maia, através da EN14 e da sua nova Variante.

Numa primeira fase foi executada a empreitada de requalificação, com um investimento associado de 3,2 milhões de euros, numa extensão de quatro quilómetros, e que está em funcionamento desde julho de 2019. Esta empreitada teve os seguintes trabalhos:

Publicidade

1. EN14 – Beneficiação do troço entre Santana e Vitória

  • Extensão de 2,5 quilómetros;
  • Reabilitação integral do pavimento;
  • Construção de novos passeios e reabilitação dos existentes;
  • Criação de gares para paragem de transportes coletivos de passageiros;
  • Reformulação e melhoria das condições de articulação com a rede viária municipal existente.

2. EN14 – Beneficiação do troço entre Vitória e a ligação à Variante de Famalicão

  • Extensão de 1,5 quilómetros;
  • Alargamento da plataforma para 2 X 2 vias com separador central;
  • Construção de rotunda para articulação com a R. Rodrigues Sampaio e R. da Vitória;
  • Reabilitação integral do pavimento;
  • Construção de passeios;
  • Criação de vias coletoras para acesso ao estacionamento junto às zonas comerciais;
  • Implantação de abrigos nas paragens de transportes coletivos de passageiros;
  • Instalação de semáforos para controlo de velocidade e travessia de peões.

3. Rotunda de Santana

  • Com o objetivo de potenciar o efeito dinamizador das Unidades Industriais sediadas no território, em setembro deste ano, a Infraestruturas de Portugal e o Município de Vila Nova de Famalicão estabeleceram um aditamento ao acordo de gestão, tendo em vista a construção de uma nova rotunda na EN14, uma nova ligação, denominada Rotunda de Santana, que assegurará a articulação da EN14 com a futura via de acesso à Área Empresarial Famalicão Sul – Lousado.

Variante à EN14


Em relação à variante à EN14, esta é dividida por quatro troços, um deles já concluído e em serviço. Trata-se de uma ligação com de cerca de 1,3 km denominada Interface Rodoferroviário da Trofa.
 
Os restantes três troços foram divididos por empreitadas independentes:
 
1. A empreitada entre o Nó do Jumbo e a Via diagonal, em serviço desde dezembro de 2020, após um investimento de 5,2 milhões de euros para uma extensão de 1,8 km, visou o reforço da mobilidade, das condições de circulação e segurança rodoviária das populações, bem como a melhoria da acessibilidade para as empresas às áreas das zonas empresariais sediadas na zona.
 
Neste empreendimento foram executados os seguintes trabalhos:

  • Criação de uma plataforma rodoviária constituída por uma via por sentido com 3,50 metros de largura, mais 1,50 metros de berma;
  • Construção de quatro rotundas, assegurando a ligação com a rede viária local existente, onde se destaca a reformulação do Nó do Jumbo e a construção do Nó com a Via Diagonal;
  • Execução de restabelecimentos à rede viária local através da reposição de arruamentos;
  • Construção de duas Passagens Superiores.

2. O troço entre a Via Diagonal e o Interface Rodoferroviário da Trofa.

3. O troço entre Santana e Trofa, com investimento associado de oito milhões de euros para uma extensão de 2,4 km, que pretende eliminar os constrangimentos no atravessamento do centro urbano da Trofa e da travessia do Rio Ave, através da construção de uma Nova Ponte na sua zona mais estreita. Visa ainda melhorar as acessibilidades ao Hospital da Trofa e à Estação de caminho-de-ferro, diminuindo os tempos de percurso para o tráfego com destino ao tecido industrial e comercial existente implantado nas margens do rio. Outro dos objetivos passa por reabilitar as margens do Rio Ave.
 
Este projeto prevê ainda a construção de quatro rotundas para melhoria das acessibilidades e um conjunto de restabelecimentos desnivelados para garantia da mobilidade das populações. A nova ponte será construída na zona de Carqueijoso ligeiramente a Norte do Hospital da Trofa, cerca de um km a montante da atual ponte sobre o Rio Ave na EN14. O tabuleiro desta ponte terá uma extensão de 163 metros.


Investimento na EN14 – o objetivo


As intervenções no corredor da EN14, entre Maia e Vila Nova de Famalicão, visam reforçar as condições de segurança e de acessibilidade numa zona densamente povoada e com grande dinâmica empresarial, mas fortemente condicionada pelo elevado grau de congestionamento e pressão marginal que caraterizam a atual Estrada Nacional.
 
As especificidades intrínsecas das zonas atravessadas, que implicam necessariamente soluções adequadas, assim como os diferentes estágios de desenvolvimento dos projetos de execução, levaram à subdivisão das intervenções em três lanços principais: “Maia | Trofa”, “Variante à Trofa” e “Trofa | Vila Nova de Famalicão”.
 
O investimento neste corredor é prioritário, e além de solucionar os problemas de fluidez de tráfego pretende contribuir para:

  • Aproximar a indústria aos eixos que constituem a malha fundamental para o transporte de pessoas e mercadorias, tendo como foco a rede de autoestradas que caracteriza a envolvente (A3, A7 e A28);
  • Potenciar a Zona de influência do Aeroporto Sá Carneiro e do Porto de Leixões;
  • Melhorar a articulação com as infraestruturas ferroviárias.
Continuar a ler...
Publicidade

Desporto

Trofense sem direção aguarda por setembro para criar comissão administrativa

Publicado

em

Por

Apenas 40 sócios marcaram presença na assembleia geral extraordinária do Clube Desportivo Trofense, na noite desta sexta feira, que tinha como ponto a eleição de uma comissão administrativa, depois de Franco Couto ter apresentado a demissão, por motivos pessoais.

A assembleia foi conduzida por José Duarte Gomes, presidente da Assembleia Geral do Clube, apoiado por 2 sócios, uma vez que os secretários da assembleia não compareceram na mesma.

A comissão vai ter como primeira batalha tratar do pagamento dos 4 meses em atraso do RERE (Regime extrajudicial de recuperação de empresas), que foi aprovado em tribunal e que o clube não estará a pagar, segundo informação vinculada na assembleia.

A assembleia terminou sem que alguém demonstra-se interesse em liderar uma comissão administrativa, havendo 5 sócios disponíveis para integrar uma, mas sem a liderar.

Ficou marcada para 2 de setembro nova assembleia com o objetivo de encontrar uma comissão.

Continuar a ler...

Trofa

Junta do Coronado cancela Coronado Convida por “desentendimento” com a paroquia de S.Mamede

Publicado

em

Por

A Junta de Freguesia do Coronado cancelou a edição de 2022 do Coronado Convida.
O evento estava previsto para decorrer entre 29 de agosto e 4 de setembro foi cancelado porque a paróquia pretendia montar “uma tasquinha” no adro da Capela do Divino Espírito Santo, mesmo depois de “terem tomado conhecimento de que já não havia lugar para mais espaços de restauração”, anunciou a junta em comunicado.

No referido documento, a junta de freguesia afirma que “tentou sensibilizar os intervenientes de que isso colocaria em causa toda a dinâmica e todos os participantes do evento” e que “perante a insistência e a determinação dos elementos ligados à Paróquia a Junta de Freguesia viu-se forçada a cancelar o evento para salvaguardar o princípio de organização do mesmo e para não entrar em choque” com uma das entidades da comunidade, nem com todos os participantes do certame. (Leia o comunicado na integra clicando aqui)


Já a paroquia, também em comunicado afirma que o regulamento do evento “definia que os lugares de restauração seriam atribuídos mediante apresentação de candidatura em carta fechada, sob licitação mínima de 800 euros, a serem conferidos aos três que apresentassem a melhor proposta, até ao dia 5 do presente mês, contudo, e segundo o mesmo comunicado, “a informação que foi disponibilizada à Paróquia, oito dias antes da data prevista de entrega das cartas, foi de que os lugares já se encontravam preenchidos.”
Segundo o comunicado, publicado nas redes sociais, a paroquia afirma que “manifestou o seu descontentamento com esta falta de consideração pelas regras instituídas” e que dois elementos do conselho económico estiveram reunidos com o presidente da Junta de Freguesia, José Ferreira, saindo dessa reunião com “bom entendimento entre as partes, decorrendo num favorável espírito de abertura e cordialidade”, mostrando surpresa pelo motivos alegados para o cancelamento do evento. (Leia o comunicado da paroquia clicado aqui)


O certame tinha realização prevista, tal como nas anteriores edições, na zona envolvente à Capela do Divino Espirito Santo, em S.Mamede do Coronado.
O Coronado Convida realizou-se já por 11 edições, esteve suspenso em 2010 e 2011 devido à pandemia, e é uma mostra associativa e cultural da freguesia.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);