A moção “Pela reavaliação da reorganização administrativa das freguesias de Alvarelhos e Guidões”, apresentada pelos elementos eleitos pelo Partido Socialista, foi aprovada por unanimidade na sessão extraordinária da Assembleia de Freguesia, a 12 de dezembro.
O socialista Nuno Moreira apresentou a moção e expôs os motivos que levam o partido a sugerir que “Guidões deve voltar a fazer-se ouvir” numa altura “em que existem reformas em curso ao nível da descentralização administrativa e do processo das freguesias”.
Para sustentar o objetivo da moção, o socialista relembrou a luta dos guidoenses pela não agregação e as manifestações levadas a cabo já depois do processo que conduziu à fusão daquela freguesia com Alvarelhos. A mais recente está na forma de um “abaixo-assinado” que reivindica a desagregação e que “contém cerca de mil assinaturas”. “O caminho que o Governo e a Assembleia da República têm assumido é de abertura para o processo de revisão da fusão das freguesias. Nós não podemos perder nenhum momento, nem este espaço”, adiantou Nuno Moreira.
Os elementos eleitos pela coligação PSD/CDS-PP votaram a favor da moção, mas fizeram saber que “qualquer decisão que venha a ser tomada” tem de estar “em consonância com aquela que for a vontade do povo”, sugerindo o recurso à “consulta popular” através de um “referendo local”.
Também o presidente da Junta de Freguesia, Adelino Maia, admitiu não se opor à vontade do povo de Guidões, salvaguardando que “a população foi sempre respeitada” e que “irá lutar por ela até ao último dia”.