Select Page

Assembleia Municipal, um mau começo?

 

 

Realizou-se já a primeira sessão da Assembleia Municipal da Trofa depois da sessão de tomada de posse e eleição da mesa.

Apesar de ter sido a primeira, foi possível constatar uma grande diferença em relação ao mandato anterior: a discussão em torno dos assuntos do concelho é muito maior e parece haver uma maior preparação da generalidade dos eleitos.

Da parte do PS, além de haver mais eleitos a falar, ficou clara logo nesta reunião a divisão interna com dois dos membros a votar de forma diferente do restante grupo num dos pontos da ordem de trabalhos. O CDS parece ter perdido capacidade de intervenção apesar de ter mais dois eleitos que no mandato anterior. O PSD mantém a forma de funcionamento dos últimos quatro anos, normalmente a sua intervenção é esvaziada pela introdução dos assuntos por parte do presidente da Câmara que fala, fala, fala…

A CDU, que está pela primeira vez na Assembleia, procurou afirmar a sua posição sobre os vários assuntos em discussão usando das perguntas à Câmara ou das declarações de voto.

 

Mais que isto, a Assembleia Municipal discutiu e aprovou vários assuntos de interesse para o concelho. No entanto, o resultado final das votações não pode fazer esquecer o conteúdo político e os efeitos que terá nos destinos da Trofa o que lá foi aprovado e que passo a referir alguns.

Sobre as Empresas Municipais foi possível constatar que o Presidente da Câmara acha incorrecto que ele próprio acumule salário de presidente com o de administrador de uma empresa municipal. Infelizmente o vice-presidente parece não achar o mesmo e assim acumula ao seu salário mais 170 contos por estar no concelho de administração da Trofaguas! Com mais este rendimento extra dá-se o cúmulo de o presidente ganhar menos que o seu vice!

Ainda sobre a Trofaguas a Assembleia discutiu e aprovou uma proposta de seis pessoas para integrar o conselho geral daquela empresa. A novidade é a mudança de opinião do PSD que há quatro anos achava importante ter neste órgão fiscalizador todos os partidos com representação na assembleia municipal e agora acha que a CDU não deve lá estar. De que tem medo o PSD? Que esconde o PSD na Trofáguas? Porque não quer que a CDU possa fiscalizar aquela empresa?

 

Também as piscinas municipais foram discutidas e foi possível confirmar a denuncia que a CDU tinha feito há quase um mês! O projecto das piscinas foi elaborado e apresentado à pressa e de forma atabalhoada! Só isso explica que os serviços da Câmara se tenham esquecido de verificar os terrenos em que pretendia construir as piscinas. Em conclusão, resultou na necessidade de a Câmara ter que solicitar, só agora, à Assembleia que desafectasse os terrenos da Reserva Ecológica para lá se poder construir as piscinas.

 

Por fim a habitação social. Apesar da exaltação do Presidente da Câmara e da sua tentativa de desviar o assunto, é profundamente errado que a Câmara tenha usado as necessidades das pessoas carenciadas do concelho para durante a campanha eleitoral ter inaugurado os apartamento que ainda não possuía e ter inclusive prometido que os mesmos seriam entregues em Novembro. Estamos a chegar ao fim de Dezembro e várias dezenas de famílias carenciadas do concelho continuam à espera da casa digna que o presidente da Câmara lhes prometeu na campanha eleitoral!

 

Perante tudo isto, só resta fazer votos de que nas próximas assembleias não sejamos confrontados com mais uma promessa eleitoral que não pode ser cumprida!

 

Um bom natal e um ano de 2006 melhor são os votos que faço para todos os leitores d`O Notícias da Trofa.

 

Jaime Toga

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª página da edição papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização