Convocada pelos membros eleitos pelo PSD, a Sessão Extraordinária da Assembleia de Freguesia de S. Martinho de Bougado tinha como ponto único a “decisão sobre a localização dos Paços do Concelho”. No entanto, a sessão terminou sem que nada ficasse decidido.

O objectivo da Sessão Extraordinária da Assembleia de Freguesia de S. Martinho de Bougado, que teve lugar na última terça-feira, 18 de Maio, era tomar uma “decisão sobre a localização dos Paços do Concelho” mas, duas horas de debate depois, nada foi decidido e a Assembleia não chegou a um consenso.

Jorge Campos, membro eleito pelo PSD, explicou, na abertura da Sessão, que o objectivo da bancada social-democrata foi “dar voz aos trofenses de S. Martinho” para que pudessem participar na decisão do “rumo da freguesia nas grandes questões”, garantindo que o PSD defende de forma “intransigente” a localização dos Paços do Concelho em S. Martinho de Bougado. No entanto, os sociais-democratas sublinharam a “necessidade de conhecer as razões da escolha daquela localização (lugar da Estação)”, porque o que está em causa “é o futuro da Trofa e de S. Martinho”.

O Salão Nobre da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado esteve cheio e, ao contrário do habitual, o público teve a palavra no início da Sessão. Teresa Carvalho, freguesa de S. Martinho, lançou uma série de questões ao Executivo da Junta de Freguesia, sobre a localização dos Paços do Concelho, nomeadamente, se o povo e os responsáveis autárquicos teriam sido “auscultados”. Teresa Carvalho acusou Joana Lima, Presidente da Câmara Municipal da Trofa, de ter tomado a decisão “de forma unilateral” e que “só posteriormente foi anunciada em Reunião de Câmara, o que constitui “uma ilegalidade material e formal”, pois “foi uma decisão pessoal de Joana Lima” quando esta “dever ser uma decisão tomada pelos órgãos municipais”.

José Sá, Presidente da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado, fez questão de frisar que “a decisão sobre a localização dos Paços do Concelho é da Câmara Municipal” e não de uma Junta de Freguesia, afirmando mesmo que as questões colocadas pelo PSD “deveriam ser colocadas durante uma Assembleia Municipal” e não na Assembleia de Freguesia. O edil de S. Martinho considerou que Teresa Carvalho estaria “equivocada” para “fazer tais acusações à Câmara Municipal”. Reiterando o apoio à Presidente de Câmara, José Sá definiu como “boa” a decisão da localização do Paços do Concelho.

Leia a reportagem integral na edição desta semana de O Notícias da Trofa.