Projeto para reinserir ex-dependentes ganhou candidatura e terá duração de quatro anos

ASAS conseguiu financiamento para retomar a ação do projeto “Reinserir na Trofa”, que ajuda ex-dependentes a reintegrar-se ao nível familiar e socioprofissional.

Domingos Claro foi um dos utentes da ASAS (Associação de Solidariedade e Ação Social de Santo Tirso) que, com um passado vivido na toxicodependência, aceitou fazer parte de um projeto de reinserção familiar e social. Depois de muitas privações e desafios ultrapassados, Domingos conseguiu encarrilar a vida, recuperar o seu lugar no seio familiar e até aventurar-se num projeto profissional.

Apesar de ser um dos casos de sucesso do projeto “Reinserir na Trofa”, que terminou no início do ano passado, Domingos Claro continuou a visitar o Centro Comunitário da ASAS, assim como os restantes colegas, para não quebrar os laços que criou com os técnicos da associação. “Com os nossos recursos, tentamos fazer almoços e outras atividades”, contou, sem deixar de manifestar gratidão por aqueles que desenvolveram um projeto que lhe deu “mais força” para “seguir em frente” e “acreditar sempre que é possível”.

Helena Oliveira, presidente da ASAS, confirma: “A ligação foi tão forte que alguns deles continuaram a vir cá, porque não têm retaguarda familiar e a família deles passou a ser o grupo de apoio da ASAS. Passaram a vir cá a tomar banho, passar as tardes e a participar nos nossos eventos”.

Depois de quase um ano de interregno, a ASAS candidatou-se novamente com o projeto “Reinserir na Trofa” e conseguiu financiamento. “Foi uma candidatura que decorreu até outubro e soubemos que tinha sido aprovada em dezembro. Tem a duração de quatro anos e esperamos que, pelo menos, 50 pessoas tenham reinserção familiar e socioprofissional”, explicou. A reunião de apresentação teve lugar no Centro Comunitário da ASAS, na Trofa, no dia 21 de fevereiro, e juntou várias entidades e parceiros da associação.

Esta nova fase do projeto conta com “inovações”, como a parceria celebrada com a Academia das Emoções que, segundo o diretor João Abreu, vai desenvolver “atividades de carácter artístico, cultural e de proximidade às empresas, mundo associativo e imprensa”. “Queremos organizar workshops, oficinas, visitas e conversas para que os utilizados se possam reinserir não só nas famílias, mas também na comunidade e, principalmente ao nível profissional. A intenção é que adquiram competências técnicas e comportamentais, como a disciplina, a gestão do tempo e a higiene”, asseverou.

Os utilizadores serão desafiados “a criar o logótipo do projeto”, assim como desenvolver o “merchandising”, criar o “hino” e “organizar alguns eventos”.

Apesar de não ter intenções de participar com regularidade no novo projeto, devido às novas exigências profissionais, Domingos Claro não duvida que será “mais um alento” para quem quer recuperar a vida.

O que é o “Reinserir na Trofa”?

Este projeto tem como principal objetivo “apoiar na reinserção e na reintegração pessoal e profissional” de pessoas com um passado de toxicodependência ou alcoolismo. Os utilizadores do projeto “precisam do apoio para dar o passo seguinte na sua efetiva reinserção pessoal e profissional”, explicou Natércia Rodrigues, educadora social. O trabalho da ASAS passa pela “dinamização de diversas atividades lúdico-recreativas e ao nível da terapia (reuniões de autoajuda), com o objetivo de dotar os participantes de competências perdidas devido aos consumos para que reaprendam e consigam, mais facilmente, a integração social”.